Eleições 2006. Oito querem o Planalto. Mas só dois, meeesmo, são de fato reais competidores

Como em qualquer eleição, nesta, que começa às 8 da manhã, e encerra às 5 da tarde, há candidatos e candidatos. Desde os que pretendem consolidar-se como força política, ainda que não vençam, passando pelos franco-atiradores e até os oportunistas. E os que, obviamente, estão disputando para valer.

Na categoria inicial, pode-se extrair dois. A ex-petista, e agora do PSol, Heloísa Helena, tem como objetivo tornar seu partido recém-criado uma agremiação política a ser levada em conta. E o mesmo pode-se dizer do também ex-petista (e que originalmente era do PDT) e agora de novo pedetista, Cristovam Buarque. Os demais, todos, são franco-atiradores ou oportunistas. Exceto, claro, a dupla de competidores reais.

Luiz Inácio Lula da Silva, do PT, e Geraldo Alckmin, do PSDB, representam projetos distintos. E bem claros. E significam algo para o conjunto do eleitorado. Tanto que, juntos, devem perfazer qualquer coisa parecida com entre 80% e 90% dos votos válidos nacionais. Um deles, Lula, pode até vencer no primeiro turno. O outro aposta numa segunda rodada. Se ela acontecer, o jogo estará zerado. E tudo pode acontecer.

Leia, a seguir, a reportagem de A Razão, de apresentação dos concorrentes ao cargo mais cobiçado do País, a Presidência da República. O vencedor ocupará, por quatro anos, o Palácio do Planalto, ungido pelo povo. Leia:

”Oito disputam a vaga
no Palácio do Planalto


A presidência da República será disputada, neste domingo, por oito candidatos: Ana Maria Rangel (PRP), Cristovam Buarque (PDT), Geraldo Alckmin (PSDB), Heloísa Helena (PSOL), José Maria Eymael (PSDC), Luciano Caldas Bivar (PSL), Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Rui Costa Pimenta (PCO). Os dois candidatos melhores colocados nas pesquisas são Lula e Alckmin.

Sindicalista e operário, o atual presidente, candidato à reeleição, nasceu em 27 de outubro de 1945, em Vargem Grande, atual Caetés (PE). Filho de lavradores, Lula migrou em 1952, com a mãe e os sete irmãos, para o Guarujá, no litoral paulista. Em 1956, mudou-se com a mãe e os irmãos para a capital paulista. Conseguiu o primeiro emprego com carteira assinada aos 14 anos, numa metalúrgica. Entrou para o sindicalismo em 1966 e, entre 1975 e 1978, foi duas vezes eleito presidente do sindicato do Metalúrgicos.

Na década de 70 liderou greves no ABC. Em 1980 participou da fundação do PT e, em 1983, da Central Única dos Trabalhadores (CUT). Em 1986, foi eleito deputado federal com a maior votação no País: 650 mil votos. Concorreu à presidência da República em 1989, 1994 e 1998, ficando sempre em 2º lugar. Só venceu a disputa em 2002, quando derrotou o candidato do PSDB.

Já Alckmin é médico e nasceu em Pindamonhangaba (SP) em 7 de novembro de 1952. Foi eleito vereador pelo MDB (1972), prefeito de Pindamonhangaba (1976) e deputado estadual (1982). Em 1986, foi o quarto deputado federal mais votado do PMDB em São Paulo, com 125 mil votos. Foi vice-líder da bancada na Assembléia Constituinte e um dos fundadores do PSDB. Em 1994, foi eleito vice-governador de Mário Covas (SP), reeleito em 1998. Em 2001, assumiu o…”


SE DESEJAR ler a íntegra da reportagem, pode fazê-lo acessando a página do jornal na internet, no endereço www.arazao.com.br, ou na versão impressa, nas bancas desde a manhã de sábado.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *