CongressoSupremo

PARLAMENTARES. Supremo arquiva um processo por semana, em média. Por quê?!

Para o ministro Marco Aurélio, há “má qualidade nas denúncias”
Para o ministro Marco Aurélio, há “má qualidade nas denúncias”

O bom sítio Congresso em Foco está publicando, nos últimos dias, uma série de reportagens tendo como alvo a situação, digamos, jurídica dos parlamentares federais brasileiros, sejam eles deputados ou senadores, e que têm foro privilegiado. Isto é, eles são obrigatoriamente processados direto no Supremo Tribunal Federal.

O diabo é que não há notícia de condenação, embora amplia-se a cada dia a quantidade de ações que tramitam na mais alta corte do Judiciário. E mais: vários casos sequer viram processo, sendo arquivados à razão de um por semana, em média. O interessante é que o aumento de incidências se dá independente do número de arquivamentos.

Mas, afinal, por que tantas situações são relevadas já na análise inicial dos ministros do Supremo?

Esta é uma das perguntas que a reportagem assinada por Thomas Pires, com foto de Fabio Rodrigues Pozzebom, da Agência Brasil, tenta responder. E isso não significa que não haja contestação, como você pode conferir a seguir:

STF arquiva um processo contra parlamentar por semana

Levantamento realizado pelo Congresso em Foco revela que somente nos últimos quatro meses o Supremo Tribunal Federal (STF) arquivou 14 denúncias contra deputados federais e senadores. O número representa, em média, um processo a menos por semana contra os parlamentares na mais alta corte do Judiciário brasileiro (veja a lista dos processos arquivados).

Os arquivamentos são a outra face de um curioso histórico do Supremo. Embora não tenham faltado nos últimos anos congressistas acusados pelos mais diversos tipos de crime, nunca o tribunal condenou um congressista. Quase sempre, os procedimentos são encaminhados para arquivamento. Em muitos casos, isso ocorre depois de o processo prescrever, após mofar por anos a fio nas gavetas da burocracia da Justiça. Há, porém, quem atribua o desolador destino das acusações à má qualidade das denúncias apresentadas, como disse o ministro Marco Aurélio em entrevista ao Congresso em Foco. Uma crítica, aliás, rebatida pelos policiais federais.

A pesquisa feita pelo site levou em consideração o recesso dos ministros, entre 2 de julho e 3 de agosto. De acordo com o levantamento, foram arquivados nos últimos quatro meses 12 inquéritos (investigações preliminares) e duas ações penais (procedimentos que podem resultar em condenações). O motivo do arquivamento não é apontado no serviço de acompanhamento processual disponível no portal do STF, que serviu de base para a pesquisa…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

SUGESTÃO ADICIONAL – confira aqui, se desejar, também outras reportagens publicadas pelo sítio especializado Congresso em Foco.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo