Mídia

NÃO CUSTA LEMBRAR. Lula, afinal, não criou a sua “rede de rádios”. Quer dizer, não é beeem assim

Confira a seguir trecho de nota que publiquei no início da madrugada de 15 de janeiro de 2007, uma segunda-feira:

Mídia oficial. Uma “Voz do Brasil” nas 24 horas do dia. A possibilidade é pra lá de concreta

Em relação ao programa “A Voz do Brasil” há unanimidade em apenas um grupo social: o dos proprietários de concessões públicas de emissoras de rádio. Aliás, é bom frisar isso: a propriedade das rádios (e também das TVs) é uma concessão, não exatamente uma propriedade privada. E todos os concessionários que conheço são contra o programa oficial (que não é só do Executivo, mas também do Legislativo e do Judiciário).
Já no outro grupo, o mais numeroso, o dos ouvintes, acredite: a “Voz do Brasil” é muito popular. Inclusive porque o programa consegue, pelo profissionalismo como é feito, oferecer um noticiário bem completinho do que vai pelo Executivo federal, como também pelo Parlamento e pelo Poder Judiciário. Não é impossível também que, feito um plebiscito, a “Voz” ganhasse de goleada.
O novo nessa história é o que pode acontecer ainda neste ano, quem sabe mesmo no primeiro semestre. O governo federal estaria pensando em bancar uma espécie de programa 24 horas, via satélite. Mmmmmm… Como será isso? E o que acontecerá com a atual…”

PARA LER A ÍNTEGRA, inclusive a reportagem que lhe deu origem, CLIQUE AQUI.

PASSADOS EXATAMENTE TRÊS ANOS da publicação da nota acima, o fato é que a “rede de rádios” oficial não foi criada, mas a de TV, sim (em Santa Maria, só disponível por satélite). Quanto às emissoras, quase mil delas reproduzem o “Café com o Presidente” o que, com a TV Brasil e a coluna semanal de jornal (indisponível na boca do monte), permite a Lula falar com quase todos os 190 milhões de brasileiros. Então, pra que rádio?

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

  1. Prezado amigo Claudemir.
    Como conheço, um pouquinho só, sobre comunicação, penso que o povo brasileiro tem direito ao acesso irrestrito sobre as comunicações oficiais e institucionais, portanto sou um defensor ferrenho da grande Voz do Brasil e de tantas outras formas deste tipo de informação. Nenhum governo no mundo, seja de que matiz for, pode ficar refém das grandes redes de comunicação, que pouco se preocupam com o social e sim com os pontos no Ibope e, consequentemente os $$$$$$$ na conta. Exemplificando, a Rede Globo, que adentra em 100% dos lares brasileiros, recebe verba do governo federal para transmitir o programa educativo Telecurso Segundo Grau. A que momento ela o faz? Na madrugada de domingo as 5 horas da manhã. Enquanto isto somos obrigados a assistir em horário nobre o BBB 10. Isto sim é uma vrgonha. Certa vez li, em algum livro que não lembro qual, que não existiriam mais guerras de conquistas e sim guerras econômicas, que o mundo seria dominado pelas multinacionais, pelas grandes corporações midiáticas de massa, pela disseminação das drogas e pornografia. Vejo que isto realmente está acontecendo. Portanto sou defensor ferrenho de sites, blogs e jornais independentes e responsáveis. Abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo