EstadoJornalismoMinistério PúblicoPolíticaSegurança

CASO DO SARGENTO. Tarso, Yeda, Zambiasi e um punhado de políticos, jornalistas, delegados, advogados…

Outras informações ainda surgirão. Mas o que há já é pra lá de escandaloso. A pergunta é: como pode um simples (respeitosamente) sargento ter conseguido bisbilhotar a vida de tanta gente? Isso precisa, claro, ser esclarecido. Mas o fato é que o sargento César de Carvalho estava bem posicionado pra isso: a Casa Militar do Governo do Estado, em pleno Palácio Piratini.

Sobre a vida de quem ele xeretou e outras informações, inclusive os nomes dos ilustres atingidos e muito mais, divulgados pelo Promotor de Justiça Amilcar Macedo, que dirige as investigações, acompanhe reportagem publicada na versão online de Zero Hora. A seguir:

“Sargento acessava fotos de filhos de deputados e desembargadora, diz promotor

O promotor Amílcar Macedo, que investiga a ação do policial militar que acessou ilegalmente dados sigilosos de políticos jornalistas, informou que o servidor da Casa Militar também pesquisava informações sobre filhos de deputados estaduais e de uma desembargadora. Segundo Macedo, o sargento César Rodrigues de Carvalho pesquisava fotos de crianças. – Isso nos deixou muito preocupados e queremos saber o motivo para que essas fotos de crianças tenham sido acessadas – afirmou, em entrevista à Rádio Gaúcha.

Entre janeiro de 2009 e agosto de 2010, o PM acessou o sistema de consultas integradas mais de 10 mil vezes, segundo a promotoria. Entre as autoridades que tiveram dados pesquisados estão a governadora Yeda Crusius, o senador Sérgio Zambiasi, o candidato ao governo do Estado Tarso Genro, deputados estaduais e federais…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

SIGA O SITÍO NO TWITTER

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo