Segurança

SEGURANÇA. Sartori avalia contratar jovens egressos do serviço militar obrigatório para policiamento no RS

POR MAIQUEL ROSAURO

Enquanto cerca de 2 mil policiais militares, 650 policiais civis e mais de 500 agentes penitenciários, aprovados em concursos públicos, aguardam serem chamados pelo governo do Estado, o governador José Ivo Sartori tem outra ideia para resolver a falta de efetivo da Brigada Militar: contratar jovens que servem às Forças Armadas. Confira na matéria do Correio do Povo:

Sartori estuda contratar jovens do serviço militar para policiamento

O governador José Ivo Sartori analisa a possibilidade de contratar – em caráter emergencial – jovens egressos do serviço militar obrigatório para suprir a falta de efetivo na Brigada Militar (BM). Em audiência com aliados, Sartori afirmou que o governo não pretende chamar os aprovados em concurso público antes da regulamentação do novo regime de previdência, aprovado pela Assembleia em 2015.

A viabilidade de contratação emergencial, conta o presidente do PDT, deputado federal Pompeo de Mattos, ocorreria por um projeto de lei encaminhado pelo governo à Assembleia. “Não tendo como nomear servidores antes da nova previdência entrar em vigor, a contratação de PMs temporários seria uma boa solução.”

A proposta, no entanto, causa contrariedade na oposição. “É um contrassenso. Até as pedras sabem que o Estado precisa da reposição de policiais civis e militares para o enfrentamento à criminalidade. Nossa bancada defenderá a nomeação dos soldados aprovados em concurso”, diz vice-líder do PT na Assembleia, Tarcísio Zimmermann.

Líder do PMDB, Gabriel Souza, rebate a crítica. “O limite de gasto com pessoal foi ultrapassado, o que torna a contratação emergencial uma boa solução. Seria uma resposta possível e rápida para a sociedade, diante da impossibilidade financeira do Estado.”

CLIQUE AQUI para ler a matéria na íntegra.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

2 Comentários

  1. até entendo a falta de dinheiro mas não vai ter que pagar mesmo assim os recrutas? Portanto se tiver que pagar pague alguém com qualificação hora hora que tipo de treinamento tem um recruta? Há sim muito diferente do serviço de policia de rua isto é certo olha acho que o sr. Sartori está dando outra mancada , tem razão sr. boca grande contrate civil para serviço burocrático e manda este monte de pm que estão em função dentro de gabinetes.

  2. Esse cara não tem a minima noção do que é o serviço de policial, colocar um cara na rua sem a minima noção de policia, é armar os bandidos, como um camarada sem treinamento vai abardar um vagabundo, se não pode chamar todos os aprovados vai chamando aos poucos, mais não fazer uma coisa dessas, então vou dar uma sugestão, contrate civis para o serviço burocratico e coloque esse pessoal da administração na rua, e também aquele cedidos que estão na assembleia e palacio, sem fazer nada, cai na real Governador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo