Eleições 2016Política

NÃO CUSTA LEMBRAR. Então, Schirmer queria que partidos governistas decidissem a candidatura única

Confira a seguir trecho da nota publicada na madrugada de 14 de março de 2016, segunda:

ELEIÇÕES. Schirmer reúne dirigentes dos partidos governistas e pede o improvável: a candidatura única

A palavra é muito comprida. O que é virtualmente proibido quando o assunto é política. Ainda assim, o editor mantém o que está no título desta nota: a empreitada a que se propõe Cezar Schirmer (PMDB) é improvável. Quem sabe até impossível, nessa altura do campeonato – a menos de sete meses da grande final, a ser disputada em 2 de outubro.

O prefeito sempre disse que seu candidato era o vice, José Aidar Farret, do PP, que o escudou nos dois mandatos que as urnas lhe deram. Mas a virtual inelegibilidade do pepista, anunciada por ele próprio aqui mesmo em SETEMBRO do passado, acelerou o processo de negociação entre as variadas siglas do governismo local. Cada um buscando seu próprio interesse. Afinal, de lá para cá já passou exato meio ano.

Vai daí que a posição anunciada na tardinha da última sexta-feira, no Palacete da SUCV, para que o quinteto principal de agremiações que sustentam a administração escolha um candidato único, talvez seja pedir demais nesse momento em que o apetite pelo principal cargo do Executivo já foi exposto  exaustivamente…”

PARA LER A ÍNTEGRA, NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI                                                                 

PASSADO EXATAMENTE UM ANO da publicação da nota, vamos combinar: obviamente, Schirmer sabia ser impossível uma convergência, tantos eram os interesses, a partir da saída da cena eleitoral de José Farret. Tanto que ele próprio (ou o PMDB, ou o Palácio Piratini ou…), e o próprio vice, já começavam a se unir em torno de um nome alheio ao governo. No caso, Fabiano Pereira.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo