CÂMARA. Comissão que tratou do transporte coletivo constata o excesso de linhas de ônibus urbano em SM

CÂMARA. Comissão que tratou do transporte coletivo constata o excesso de linhas de ônibus urbano em SM - maiquel-bolinha-e-mortari

Em março, Adelar e Mortari, dois dos três vereadores da comissão especial, testaram “in loco” o transporte público de Santa Maria

Por MAIQUEL ROSAURO (com foto de Divulgação), da Equipe do Site

A Comissão Especial que acompanha a situação do transporte público de Santa Maria constatou uma série de deficiências no serviço. Um dos principais apontamentos diz respeito à quantidade excessiva de linhas.

“Existem 70 linhas básicas, mas cada uma pode ter até 52 derivações, muitas vezes com mudanças discretas e sobreposição da maior parte do itinerário, estando registrados até 509 itinerários diferentes. Apesar deste grande número de itinerários, 20 deles concentram a metade da demanda, e 100 agrupam 85% da demanda”, informa o relatório final.

Segundo o documento protocolado nessa segunda-feira (4) no Legislativo, o sistema também carece de falta de informações sobre o serviço, como mapa dos itinerários e quais localidades o ônibus irá percorrer.

“Pretende-se que o sistema de transporte coletivo de Santa Maria seja atrativo para a população, com ar-condicionado e mais horários, principalmente, Tancredo Neves, Campus, Passo das Tropas e Nova Santa Marta Campus”, diz o relatório.

Também é citada a situação dos abrigos de ônibus na Faixa Nova de Camobi e nos acessos aos condomínios do Cerrito, Berleze e Maringá. Moradores destas localidades aguardam pelo transporte ao relento, uma vez que as paradas são precárias.

“As pessoas também alegam que há veículos sem condições de transportar passageiros devido ao tempo de circulação e pela falta de limpeza dos veículos pelo Sistema SIM da Cidade”, alegam os parlamentares no relatório.

A comissão foi formada pelos vereadores Adelar Vargas – Bolinha (PMDB), presidente; João Kaus (PMDB), vice; e Marion Mortari (PSD), relator.

Confira as sugestões da comissão:

– Novo esquema circulatório na cidade que priorize os sentidos únicos. Desta forma, minimizam-se os pontos de conflito e melhora-se a capacidade das vias, especialmente nos cruzamentos;

– Faixas reservadas somente para ônibus;

– Mais investimentos do município no transporte coletivo, na infraestrutura municipal, como a implementação de corredores exclusivos a requalificação física e estrutural, e a atualização e ampliação da frota de veículos pelo consórcio SIM;

– Colocação de abrigos de ônibus em todos os pontos de ônibus do Município;

– Realização da licitação pública para administrar a concessão do sistema municipal do transporte público;

– Criação de Fundo Municipal para o transporte coletivo com subsídios a nível municipal.

Para ler o relatório final na íntegra, clique AQUI.



3 comentários

  1. Marcus Nunes

    Sugestão os Ver. devem vir trabalhar uma vez a cada 15 dias de transporte público, ai vão poder ter mais noção de como estão os munícipes que usam o transporte público…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *