Destaque

UFSM. Prédio da Antiga Reitoria continua interditado. Caso segue sob investigação. Instituição divulga Nota

Prédio encontra-se interditado pela Pollícia Federal. Caso sob investigação. Produto usado na limpeza, e inalado, entregue aos bombeiros

Da Rádio Medianeira, em texto de FABRÍCIO MINUSSI. A foto é de RENATO OLIVEIRA (Correio do Povo)

O Gabinete do Reitor da UFSM divulgou no início da tarde  uma nota oficial sobre a EVACUAÇÃO do prédio da Antiga Reitoria, fato ocorrido na manhã de hoje (25), devido a intoxicação de funcionários de uma empresa de limpeza, durante a dedetização do local.

O motivo teria sido a utilização de um produto químico nas instalações, que teria sido inalado pelas funcionárias, que não teriam sido  avisadas pela empresa de que haveria detetização no local. Vinte pessoas se sentiram mal e foram atendidas e encaminhadas ao PA do Patronato e Hospital Universitária. Nenhum caso relatado é grave.

Segundo a nota da UFSM (veja abaixo), a instituição avisou previamente docentes, técnico-administrativos e estudantes para não acessarem o local. O Gabinete do Reitor também informou que está acompanhando o caso e que o prédio encontra-se interditado pela Polícia Federal. O produto utilizado na limpeza foi recolhido pelos Bombeiros. Já a empresa que fazia a detetização disse que está investigando o caso.

NOTA DA UFSM

No dia 24 de setembro de 2018, o curso de Odontologia da UFSM solicitou o serviço de dedetização das suas salas, no prédio da antiga Reitoria, à empresa SulClean, que tem contrato de prestação de serviços com a UFSM.

A Universidade avisou docentes, técnico-administrativos e estudantes para não acessarem o local. Um grupo de funcionários da empresa executora do serviço adentrou no espaço próximo às salas onde o serviço estava sendo realizado e relatou mal-estar e sintomas de intoxicação, possivelmente ocasionados pelo produto usado pela própria empresa.

Ao todo, 20 funcionários tiveram atendimento pelo SAMU no local e felizmente não foi registrado nenhum caso grave. Quatro deles estão em observação no Hospital Universitário da UFSM, aguardando resultados de exames, mas sem registro de gravidade.

Estão acompanhando o caso pela UFSM dois servidores do Núcleo de Prevenção de Incêndio (NPI) da Pró-Reitoria de Infraestrutura (Proinfra), um engenheiro e um técnico em segurança do trabalho, além de um servidor do Núcleo de Qualidade de Vida do Servidor da UFSM.

O prédio no momento encontra-se interditado até que seja elaborado o laudo de liberação pelas autoridades competentes.

O reitor Paulo Afonso Burmann, assim que informado sobre a situação, deslocou-se imediatamente para o local e concedeu entrevista coletiva às 11h.

A UFSM está instaurando procedimento administrativo interno para apuração de eventuais responsabilidades sobre o incidente.

Gabinete do Reitor

PARA LER A ÍNTEGRA, NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo