VÍDEO. A Netflix, seus 100 milhões de assinantes no mundo e a avaliação de três usuárias santa-marienses

VÍDEO. A Netflix, seus 100 milhões de assinantes no mundo e a avaliação de três usuárias santa-marienses

Por BRUNA MILANI (com fotos de Reprodução), Especial para o Site (*)

VÍDEO. A Netflix, seus 100 milhões de assinantes no mundo e a avaliação de três usuárias santa-marienses - bruna-andressa

Andressa da Cas e relação da Netflix com comportamento das pessoas

Trabalhando com a plataforma conhecida na língua inglesa como streaming e traduzida como fluxo de mídia, ela é utilizada para distribuir conteúdo multimídia. Atualmente a empresa que usa esse modelo de serviço conta com aproximadamente 100 milhões de assinantes em cerca de 190 países. A Netflix é uma provedora que fornece filmes e séries de televisão, em parte produzidos pela organização.

Em maio de 2018, a Netflix passou a The Walt Disney Company, tornando-se a empresa de maior valor no mercado do entretenimento, com 153 bilhões de dólares.Ao assinar o pacote, a pessoa é direcionada a escolher os gêneros, filmes e séries preferidos e dessa maneira é selecionado todo o conteúdo cinematográfico que se encaixa com os itens escolhidos.

Também é possível baixar o filme ou os episódios de uma determinada série e assisti-los off-line. Através disso, foi realizada uma pesquisa pela própria Netflix em 2017, que apontou que 67% dos entrevistados não se importam em expor o que estão assistindo fora de casa. Também foi divulgado na época que o Brasil é um dos países em que as pessoas mais assistem conteúdos em lugares públicos como por exemplo em aviões e ônibus.

VÍDEO. A Netflix, seus 100 milhões de assinantes no mundo e a avaliação de três usuárias santa-marienses - bruna-victória

Victória Tavares assiste desde os documentários até séries dramáticas

A plataforma, com o passar dos anos, começou a influenciar no comportamento dos assinantes, já que esses passaram a preferir ficar assistindo filmes ou séries, a sair de casa, gastando em média 100 minutos por dia assistindo aos serviços disponibilizados conforme um estudo feito pelo site CordCutting com o auxílio da Netflix.

Para a psicóloga Andressa Rocha da Cas, 23 anos, o uso prolongado da Netflix não está necessariamente associado com a depressão, mas a algumas características como: isolamento social e anedonia. “A anedonia é quando a pessoa não sente mais prazer em realizar atividades que antes sentia, como por exemplo, sair com os amigos”, explica Andressa.

VÍDEO. A Netflix, seus 100 milhões de assinantes no mundo e a avaliação de três usuárias santa-marienses - bruna-vitória

Vitória Lima já fez maratonas da série Lucífer em um final de semana

Com os dias corridos entre a faculdade o estágio, a estudante de contabilidade da Fadisma Vitória Lima, 21 anos, utiliza a Netflix como um escape para o descanso. “Eu assisto normalmente umas três vezes na semana, entre sexta, sábado e domingo, que é quando eu tenho folga e ela me trás conforto”, explicou Vitória. A estudante crítica de maneira positiva a empresa, ao se referir a ela como uma das melhores invenções referente ao lazer.

Partindo da mesma quantidade de vezes que acessa a Netflix, a estudante de estética e cosmética da Universidade Luterana (Ulbra), Victoria Tavares, 23 anos, já chegou a assistir quatro episódios da série La Casa de Papel por noite. “Acho uma plataforma incrível, porém poderiam abastecer com mais filmes recentes”, argumenta.

(*) Bruna Milani é acadêmica de Jornalismo da Universidade Franciscana e faz seu “estágio supervisionado” no site



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *