DECORO. Ofensa contra as mulheres, no Facebook, torna edil João Kaus alvo de representação na Câmara

DECORO. Ofensa contra as mulheres, no Facebook, torna edil João Kaus alvo de representação na Câmara

DECORO. Ofensa contra as mulheres, no Facebook, torna edil João Kaus alvo de representação na Câmara - maiquel-kaus

No Facebook, durante a sessão de quinta passada, Kaus se referiu a usuárias da rede que debatiam com ele como “bando de piranhas”

Por MAIQUEL ROSAURO (com foto de Allysson Marafiga/AICV), da Equipe do Site

A Mesa Diretora da Câmara de Vereadores de Santa Maria irá protocolar uma representação contra o vereador João Kaus (MDB). A decisão foi tomada por unanimidade em reunião realizada na manhã dessa terça-feira (27). A ação foi proposta pela vereadora Luci Duartes – Tia da Moto (PDT).

Na quinta-feira (22), durante a sessão plenária, o emedebista se envolveu em um longo debate no Facebook com defensores da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). A origem foi uma publicação de um estudante em protesto aos vereadores que votaram contra a moção de repúdio ao programa Future-se, de autoria de Valdir Oliveira (PT) (AQUI). Em determinado momento, Kaus chamou algumas das usuárias do debate de “bando de piranhas” (AQUI).

A vice-presidente da Casa, Luci Duartes, solicitou a reunião da Mesa Diretora e colocou o tema em pauta. Os vereadores presentes no momento da votação – Cida Brizola (PP), Deili Silva (PTB), Leopoldo Ochulaki – Alemão do Gás (PSB) e Daniel Diniz (PT) – aprovaram o protocolo de uma representação da Mesa perante a conduta de Kaus.

A ação será remetida à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), onde passará pelo crivo do ouvidor Admar Pozzobom (PSDB). Após análise, o tucano poderá optar pelo arquivamento ou pela abertura de uma subcomissão de ética e decoro parlamentar.

“Não quero uma punição no sentido de suspensão, mas uma retratação do vereador com as mulheres santa-marienses e com o Parlamento Municipal”, explica Luci.

Kaus se justifica e Luci rebate

Na tribuna, o emedebista falou durante dez minutos sobre suas publicações na rede social. Ele argumentou que, talvez, seu erro foi ser muito espontâneo. Também disse que não se desculpará pelo que disse.

“Se evitaria alguns constrangimentos com aquilo que eu falei, evidentemente, que posso até dizer ‘me desculpe pelo que aconteceu’, mas não pelo que eu falei. Pelo que eu quis falar não abro mão nem debaixo d’água porque foi o que senti naquele momento, as pessoas me atacando vamos supor assim, de certa forma, como seres irracionais de forma feroz”, declarou Kaus.

Logo após sua fala, Luci solicitou o espaço de liderança do PDT para debater o assunto. Ele revelou que foi cobrada por professoras universitárias e professoras municipais pela “terminologia chula” utilizada por Kaus na rede social. No fim de sua manifestação, ela mandou um recado direto ao emedebista.

“Estou sim, vereador João Kaus, estou ofendida não só como parlamentar. Primeiro pelo desrespeito a esta Casa em usar bateção de boca em rede social no horário de sessão. E segundo, por ser mulher, ter votado a favor à moção e ser chamada de piranha”, desabafou Luci, que foi aplaudida em pé por Celita da Silva (PT) e Daniel Diniz (PT).



2 comentários

  1. O Brando

    Circo habitual para ver se rende votos. Como foi objeto de outro comentário cabe ressaltar o politicamente correto e a tentativa de corromper a linguagem. Não é defesa, é constatação. Se o vereador chamou algumas debatedores de ‘bando de piranhas’ (vamos combinar que ‘bando’ ainda é um grupo restrito) não cabe retratação para com as ‘mulheres santa-marienses’. A ofensa tinha endereço.
    População feminina da cidade não é trouxa para cair num truque infantil destes, maioria nem vai tomar conhecimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *