MÍDIA. Livro escrito por Gilson Piber e Tiago Nunes conta migração da pioneira Rádio Imembuí para o FM

MÍDIA. Livro escrito por Gilson Piber e Tiago Nunes conta migração da pioneira Rádio Imembuí para o FM

Do portal especializado Coletiva.Net, com imagem de Reprodução

MÍDIA. Livro escrito por Gilson Piber e Tiago Nunes conta migração da pioneira Rádio Imembuí para o FM - coletiva-imembuíTodo o processo de migração de Amplitude Modulada (AM) para Frequência Modulada (FM) da Rádio Imembuí, de Santa Maria, será registrado em um livro. Com previsão de lançamento em dezembro, a obra é de autoria dos jornalistas Gilson Piber e Tiago Nunes. Tiago é coordenador de Jornalismo da emissora e narrador esportivo, e Gilson é doutor em Comunicação, trabalha na UniFM e atua como professor da Universidade Franciscana (UFN).

A obra se trata de um trabalho de pesquisa acadêmica desenvolvida pela dupla durante um ano e ao prefácio será escrito pelo também jornalista e professor Luiz Artur Ferraretto, da Ufrgs. Mestre e doutor na área, ele também é coordenador do Núcleo de Estudos de Rádio da Ufrgs, grupo de pesquisa certificado pela instituição de ensino junto ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

No livro, os autores querem contar detalhes da migração e os bastidores para transformar uma emissora do Interior em FM. Gilson e Tiago explicam que serão abordadas questões técnicas, dificuldades burocráticas e de modificação da programação jornalística. A obra contará com a participação de sete entrevistados, chamados de agentes da migração, que participaram do processo de transformação da rádio.

Ocorrida em 30 de maio de 2017, a migração da Imembuí, que tem 77 anos, chegou ser ameaçada, pois faltava canal para uma frequência da cidade. “Esse é um dos fatos que o ouvinte não tem conhecimento. Sem falar no valor que teve de ser pago ao governo pela outorga”, adianta Tiago.

Ele também destaca a mobilização em torno de uma nova programação, quando um profissional de São Paulo veio para fazer todo o estudo da grade do AM e sugerir mudanças para o FM. “Todos os detalhes dessa mudança e como ela foi pensada também são detalhados no livro. Será um documento histórico, assim como foi à migração em si”, comenta.

A dupla projeta realizar o pré-lançamento do livro em dezembro e, depois, organizar uma sessão de autógrafos com o lançamento oficial na Feira do Livro de Santa Maria, em 2020. Toda parte gráfica da obra está sendo elaborada pela editora Appris, de Curitiba, no Paraná.

PARA LER A ÍNTEGRA, NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *