ARTIGO. Jorge Pozzobom e o ato de governar. Uma receita: elencar prioridades. E também nunca desistir

ARTIGO. Jorge Pozzobom e o ato de governar. Uma receita: elencar prioridades. E também nunca desistir

ARTIGO. Jorge Pozzobom e o ato de governar. Uma receita: elencar prioridades. E também nunca desistir - pozzobom-artigo-1Governar com responsabilidade é não desistir. Nunca!

Por JORGE POZZOBOM (*)

Governar é elencar prioridades. Tenho dito e reafirmado essa frase desde que assumi a Administração Municipal, em janeiro de 2017. É, em meio a um cenário de recursos escassos, respeitar o dinheiro do contribuinte quando, diante de tantas demandas e obstáculos, a escolha é priorizar a Educação, com a contratação de 422 novos professores e a construção de escolas de Educação Infantil na cidade. É respeitar o dinheiro do cidadão quando se aceita o desafio de enfrentar os problemas da Saúde, reabrindo unidades como a Floriano Rocha, na Cohab Santa Marta, e assegurando a construção de outras unidades de saúde que sairão do zero, como as que serão erguidas nos bairros Urlândia e Km 3, tão carentes de serviços de saúde.

Governar é elencar prioridades. Mas, também, é nunca desistir. É não esbarrar no primeiro “não”, de tantos que ainda viriam ou virão. E aqui eu quero ressaltar uma conquista que, simbolicamente, está emoldurada em um quadro pendurado no Gabinete que ocupo. Na parede, o documento traz uma cifra de R$ 31 milhões. Para mim, um valor que vai muito além do monetário – significativo, é claro -, mas é o que me faz reafirmar, todos os dias, que o esforço em lutar pelo que fará diferença na vida dos santa-marienses tem valor inestimável. Vale muito mais do que o valor estampado naquele quadro.

Esses R$ 31 milhões, recursos provenientes do governo federal, estavam parados em uma conta, à disposição da Prefeitura de Santa Maria, desde 2007. Isso mesmo, quando assumi o Governo, esse valor estava lá, parado, há uma década. E o agravante disso tudo: sem correções monetárias, ou seja, sem render juros, e sem a liberação para uso do Município por falta de projetos.

Depois de tantas idas e vindas a Brasília, de tantas articulações e, principalmente, de tanto trabalho, consegui a liberação dos R$ 31 milhões para investimentos em Santa Maria. Valor que corríamos o risco de perder e ser devolvido a sua origem. O resgate desses recursos, considero uma conquista, sim. Prova disso é o quadro emoldurado e pendurado no Gabinete de Governança.

Recentemente, desse montante de R$ 31 milhões, foram liberados pela Caixa R$ 10,6 milhões para a conclusão de uma obra que promete facilitar os acessos entre as regiões Oeste e Norte, e ainda, ao Centro: a finalização da Perimetral Dom Ivo Lorscheiter, uma via de 3,5 quilômetros. Com esses R$ 10,6 milhões, a Prefeitura de Santa Maria vai concluir o trecho 2 e construir o trecho 3, possibilitando a ligação da perimetral com as ruas Coronel Valença, no Bairro Passo D’Areia, e José Barin, no Bairro Caturrita. São serviços como pavimentação, rede de esgoto e até uma ponte.

Uma soma de esforços para tirar do papel essa importante obra viária para a nossa Santa Maria, que, logo ali na frente, vai se tornar realidade – e, quando falo em soma de esforços, vale ressaltar que o projeto de engenharia para a finalização da perimetral foi doado pela Câmara de Comércio, Indústria e Serviços de Santa Maria (Cacism). Mas, principalmente, cabe aqui exaltar o resultado de algo que venho afirmando dia após dia à frente da Administração Municipal. Que o dinheiro público precisa ser tratado com seriedade e responsabilidade. Que o contribuinte tem que ser respeitado em cada ação do gestor público. E que governar com responsabilidade é não desistir. Nunca!

(*) JORGE POZZOBOM é o Prefeito Municipal de Santa Maria. Sua trajetória como agente político começou com dois mandatos de vereador, tendo depois se alçado, pelo voto popular, à Assembleia Legislativa. Em meio ao segundo período, em 2016, foi eleito para conduzir o Executivo santa-mariense. Ele escreve no site às terças-feiras.

OBSERVAÇÃO DO EDITOR: a foto (da Perimetral Dom Ivo) que ilustra este artigo é de Ariéli Ziegler (AIPM).



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *