ELEIÇÕES 2020. Calendário está mantido. Mas as convenções estão em risco por causa do coronavírus

ELEIÇÕES 2020. Calendário está mantido. Mas as convenções estão em risco por causa do coronavírus

ELEIÇÕES 2020. Calendário está mantido. Mas as convenções estão em risco por causa do coronavírus - poder360-convenções-tse

Sede do TSE, em Brasília: tribunal mantém, até o momento, o calendário eleitoral. Convenções ocorrem entre 20 de julho e 5 de agosto

Por LEONARDO CAVALCANTE e PAULO SILVA PINTO, do site Poder360, com foto de Repreodução (*)

O aumento dos casos de covid-19 deixa em alerta ministros e advogados que atuam no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) em relação a prazos das eleições municipais. As convenções partidárias estão previstas para 20 de julho a 5 de agosto, em pleno inverno.

…A Secretaria Geral do TSE afirma que, “até o momento“, o cronograma está mantido. Nos bastidores, ministros já consideram que a Corte precisa estar preparada para eventuais mudanças de prazos ou normas.

Quatro de abril é é a data final para filiação dos candidatos. Advogados defendem que o prazo seja estendido. É o caso de Admar Gonzaga, ex-ministro do TSE e secretário da Aliança pelo Brasil. A legenda a ser criada não disputará as eleições de 2020.

Caciques

Sem correligionários nas convenções, os caciques dos partidos devem ter ainda mais força. Poderão decidir sobre as vagas não preenchidas.

A advogada eleitoral Marilda Silveira disse que a decisão da presidente do TSE, ministra Rosa Weber, de adiar a eleição suplementar para o Senado em Mato Grosso renderá discussões. Poderá ser usada como argumento para mudança no calendário do pleito municipal. “Estamos em situação inédita com a pandemia”, afirmou.

As reuniões dos partidos poderiam ser adiadas por projeto de lei. Ou por interpretação do TSE, disse a advogada – embora seja algo não ortodoxo. Mas atrapalharia o resto do calendário.

O pleito é no 1º domingo de outubro. Mudar isso exigiria uma PEC. Decisão do TSE não seria impossível, disse Marilda, no quadro excepcional.

Os partidos ainda esperam eventuais decisões do TSE. Por enquanto, evitam apelar à Justiça. Todos os ouvidos … dizem que a pré-campanha será sui generis, sem atos de filiação e festa dos convencionais.

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

(*) Notícia produzida e publicada na semana passada e atualizada cronologicamente pelo editor.



1 comentário

  1. O Brando

    Somente os políticos (e acessórios) estão preocupados com a eleição. Ordem do dia é: vírus e economia. Ressaltando sempre que os manuais econômicos não têm receita para uma situação destas. Estão anunciando choques anticíclicos Keinesianos sem saber muito no que vai dar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *