DestaqueRegião

SANTIAGO. Prefeito defende que o comércio não essencial possa trabalhar durante a bandeira preta

Lideranças santiaguenses buscam defender manutenção dos postos de trabalho

Autoridades do município assinaram documento que será encaminhado ao governo do Estado. Foto Divulgação

Por Prefeitura de Santiago

O prefeito Tiago Gorski Lacerda esteve reunido na manhã deste sábado (6) com a presidente do Centro Empresarial, Cristina Cardoso, com o secretário de Desenvolvimento Econômico, Sadi Gioda, e com o presidente da Câmara, Batista Manzoni, para produzir e assinar um documento que será encaminhado ao Governo do Estado, em nome das forças do município, solicitando a retomada de atividades e serviços considerados não essenciais, mas que são vitais para a geração de renda e manutenção dos postos de trabalho.

A solicitação sugere o atendimento de um cliente por vez, preferencialmente, com horário agendado ou até mesmo um horário estendido ao comércio para se evitar aglomerações, além de revezamento de funcionários, de modo que não exceda os 50%, considerando também todos os protocolos e medidas contra o coronavírus.

O Centro Empresarial se compromete a orientar todos os seus associados e auxiliar o município na fiscalização do cumprimento de todas as medidas estabelecidas. O documento reforça que mesmo em situação de normalidade, o comércio local não opera com aglomeração de clientes e vem cumprindo todos os cuidados e protocolos sanitários.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo