Artigos

Professores escolhem o ofício por amor? – por Roberto Fantinel

O articulista reflete sobre a data que lembra os mestres de todos nós

Não podemos romantizar os desafios enfrentados pela classe.

Não importa o lugar do mundo, eles são essenciais para que todo e qualquer ser humano consiga chegar onde almeja. Na semana em que celebramos o dia do professor, não podemos nos contentar com palavras de carinho e pequenas homenagens.

A educação precisa ser pauta constante, não só nas salas de aula, mas fora dos muros da escola. Dentro das políticas públicas que debatam a descentralização do ensino, as matérias básicas que todos os alunos deveriam aprender, o direito à educação de qualidade, como os professores deveriam ser contratados, tratados e também os seus salários.

Reconhecimento: “Ato de reconhecer o mérito”. Ou seja, ao reconhecer alguém você está valorizando uma característica, competência, habilidade ou talento e é justamente a falta do termo diante do profissional da educação que leva a uma insistente insatisfação da categoria, que, mal remunerada, enfrenta o desafio de permanecer no magistério em condições antagônicas.

A data é imprescindível para comemorarmos tudo aquilo que já foi conquistado, mas, essencialmente, para redundar a visão romântica da profissão. A pandemia, que se reduz aos poucos, mas ainda não acabou, foi mais um momento de colocar professores e educação à prova e, apesar de todas as adversidades, eles seguiram firmes, longe de perpetuar uma cultura de que o professor escolhe o ofício por amor, e não por crescimento pessoal e profissional.

Como um eterno aluno das salas de aula, do mundo virtual, da vida, proponho que, independente da nossa profissão, saibamos reconhecer o valor de professores, homens e mulheres aguerridos que difundem o conhecimento e proporcionam que meninas e meninos possam ser o que quiserem em um futuro logo à frente.

(*) Roberto Fantinel é deputado estadual pelo MDB. Oriundo de Dona Francisca, onde foi vereador, é ex-presidente da Juventude do MDB/RS, integrante do Diretório Municipal do MDB/SM e ex-assessor do governo gaúcho, na gestão de José Ivo Sartori. Ele escreve no site, semanalmente, aos sábados. 

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo