DestaqueSanta Maria

CIDADE. Grupo de 20 sindicatos e centrais sindicais reivindica permanência da Irma Lourdes Dill em SM

Documento pede continuidade da religiosa na liderança da economia solidária

Da Assessoria de Imprensa da Sedufsm / Com imagem do Comitê Popular em Defesa da Economia Solidária

Nesta terça-feira, 1º de fevereiro, um conjunto de 20 sindicatos e centrais sindicais lançou nota em que reivindicam a permanência da Irmã Lourdes Dill em Santa Maria. A Sedufsm, que integra o Comitê Popular em Defesa da Economia Solidária, é uma das entidades signatárias do documento – endereçado especialmente às Autoridades Eclesiásticas.

Tendo chegado em Santa Maria no ano de 1987, a convite do então bispo Dom Ivo Lorscheiter, Lourdes Dill foi, por 35 anos, coordenadora do Projeto Esperança/Cooesperança, ajudando a firmar a cidade como referência no que se refere a projetos voltados à economia solidária e agricultura familiar.

A notícia de sua transferência chegou de forma repentina no dia 21 de dezembro de 2021, suscitando uma série de mobilizações contrárias por parte de entidades e coletivos. Cabe destacar que a atuação da Irmã sempre esteve alinhada aos movimentos sociais e populares.

Com despedida de Santa Maria marcada para o próximo dia 2 de abril, Irmã Lourdes deve ser transferida para a Diocese de Grajaú, no Maranhão. Contudo, coletivos, sindicatos e movimentos tentam reverter a situação. Nas redes sociais circulam, há semanas, postagens com a hashtag #ficaIrmãLourdes.

Leia, abaixo, a nota do Movimento Sindical: 

Nota do Movimento Sindical em Defesa da Economia Solidária em Santa Maria.

As entidades sindicais, representantes do mundo do trabalho em Santa Maria (RS) e região, tomaram por surpresa o anúncio da transferência da Irmã Lourdes Dill para o município de Barra do Corda, no Estado do Maranhão.

Ao longo das últimas três décadas, a Irmã Lourdes Dill tem sido incansável na sua missão. A pequena semente lançada pelo Bispo Dom Ivo Lorscheiter encontrou na Irmã Lourdes Dill a sua principal regadora. Essa semente germinou, virou árvore e rendeu belíssimos frutos. Em meio a crises econômicas, ao desemprego, a pobreza, a miséria e a fome, a Economia Popular e Solidária se revelou uma alternativa de geração de renda para muitas famílias em Santa Maria e região.

Graças ao empenho da Irmã Lourdes Dill, o Projeto Esperança/Cooesperança se tornou uma referência mundial. A Feira Internacional do Cooperativismo (Feicoop) e a Feira Latino Americana de Economia Solidária não apenas se concretizaram como espaços qualificados de debates plurais e de trocas de ideias sobre uma ética e uma economia voltadas para a justiça social, como também transformaram Santa Maria (RS) na capital mundial da Economia Popular e Solidária.

Por fim, destacamos ainda que ao longo de sua trajetória em Santa Maria (RS) e região, a Irmã Lourdes Dill se tornou uma importante ponte entre a Igreja Católica e o Movimento Sindical.

Por tudo que expusemos acima, viemos fraternalmente solicitar às Autoridades Eclesiásticas que escutem o nosso pedido e o nosso desejo de permanência da Irmã Lourdes Dill em Santa Maria (RS), permanência esta que tanto qualifica o diálogo entre a comunidade eclesiástica e o mundo do trabalho.

Santa Maria, 01 de fevereiro de 2022.

ASSUFSM / ATENS-SM / CPERS / CSP-CONLUTAS / CTB / CUT – Regional Centro / INTERSINDICAL / NCST/ SEDUFSM / SINASEFE-SM / SINDIÁGUA/RS-Regional Centro Oeste / SINDICATO DOS MUNICIPARIOS DE SANTA MARIA/ SINDISERF / SINPRO-RS / SINPROSM / SINTECT-SMA / SINTICAL / SINTRACOVER / SINTTEL /STIMMMESM

#FicaIrmãLourdes.”

PARA LER A ÍNTEGRA, NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo