Claudemir PereiraJornalismo

ESQUINA DEMOCRÁTICA. E, de repente, índios ganham defensores extremados em Santa Maria. Que tal?

Garantidas as regras do sítio, de civilidade (a crítica pode ser forte ou não, mas sem ser ofensiva, por favor), você é que decide o assunto, afinal de contas. Ah, e o que está no título é somente uma sugestão. Nada mais.

AQUI NÃO TEM NOTA ALGUMA, SÓ O TEU COMENTÁRIO. APROVEITE!

SIGA O SITÍO NO TWITTER

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

  1. Nicolau, no meu quase analfabetismo estou solidário contigo. Não desista, já sofri esse mesmo preconceito de uma Dama que frequenta esse Blog. Isso acontece quando constestamos certos procedimentos, dai as pessoas não teem argumentos, e procuram desqualificar oque se pensa atacando os erros de portugues dos nossos comentários. Inagine como seria deserto esse blog se por aqui soh entrasse professores de portugues. Com certeza esse Blog não seria um sucesso total.

  2. @Airton
    Esse é o estilo Shirmer, sempre foi um político que manteve aparencias mas de consreto mesmo apresentou pouca coisa em toda sua vida pública , é a cópia escraxada do Pedro Teatral Simon, como prefeito não está sendo diferente,cria factóides o tempo todo e quando aparece alguma coisa feita no seu período é oriunda dos encaminhamentos do governo anterior, resumindo é um fracasso!
    Mas não perdeaquela posse de pavão.

  3. Hoje passei pelo prefeito..muitos elogios..por ter transferido os camelos..”eu to arrumando a casa”..aquilo era uma vergonha..ect…”..para os de pouco conhecimento que não gostam de direito administrativo eu tem memória…acreditam!..existia um prazo para a transferecia..o prédio tinha que ser ocupado..e quem articulou todo o processo foi o governo anterior..se não fosse comprado o prédio..isso não teria acontecido.” e muito criticado pela atual administração nesta compra..”Memória Povo”….na quela hora seria deselegante corrigir o prefeito!respeito ele mais assim é demais!

  4. Bah Jeferson assim não vale. Gostaria de saber oque Você pensa sobre essa situação dos “indios”. Assim vc deixa as pessoas como eu constrangido por ter um portugues ruim, portanto me fazendo entender já me dou por satisfeito. Voltando aos selvicolas, passei pelo centro ontem, não senti que eles estejam atrapalhando o ir e vir das pessoas. Na verdade eles deveriam estar nas reservas com a assistência total da Funai (leia Governo Federal), e não quase mendigando nas praças e rodoviárias. Rapinaram tudo que era deles, deixando na miséria, vivem com uma assistência precaria oferecida pela Funai. Se a Prefeitura quizer resolver o problema dessas nossos irmãos (verdadeiros donos de tudo) Que faça a Casa do Indio como fez o shop Independência. Pela não saida dos Selvicolas da praça, a não ser para um lugar onde possam também ganhar o pão com dignidade vendo seus artesanatos.

  5. Lá venho eu de novo meter o bedelho…
    Entendo que a questão principal não é a presença ou não dos índios, mas sim a recorrente “solidariedade” da cidade para com todo tipo de suposta minoria, como se Santa Maria tivesse a obrigação de ser a mãe generosa que a todos acolhe.
    Isto é muito bonito no discurso, na utopia, mas o mundo real não funciona assim.

    Quando alguém questiona a invasão dos espaços públicos, logo surge uma Madre Teresa da Boca do Monte para cobrar generosidade.
    Quando alguém reclama da matilha de cães abandonados que invade o Calçadão espalhando doenças, chove patrulhamento de todo lado, inclusive do exterior, onde animais abandonados são recolhidos e após 30 dias sacrificados.
    Quando alguém cobra a liberação das ruas invadidas por hordas de jovens mal-educados em frente aos bares, surgem os democratas etílicos para falar em direito de ir e vir.

    Ouvi dizer que um imbecil (não pode haver outro adjetivo) tentou pichar o belíssimo painel da Praça da Locomotiva, e quando foi admoestado latiu seu suposto direito à livre-expressão”.
    Ora… Livre expressão é fazer limpar pichação com a língua!
    O que Santa Maria precisa é se dar ao respeito!
    Dar um basta a esta esculhambação travestida de “liberdade” que só atende o interesse de quem se lixa para a vida em comunidade.

    O dia que o povo santamariense criar vergonha na cara, der um grito de Sepé Tiaraju (ESTA TERRA TEM DONO!) e tomar posse da sua cidade, tenho certeza que passaremos a viver em um lugar muuuuito melhor e mais respeitado… e aí poderemos acolher índios, estudantes, romeiros, militares e todos mais que aqui vierem com a certeza que teremos deles o respeito que merecemos.

  6. Agora que limparam o centro vão ficar se gavando do feito e deixam a praça Saturnino abandonada e atirada nas mãos desses bares da volta? aquela tal associação do centro no que deu?

  7. @Jeferson Luis
    Quem falando em reacionários,escreve cada coisa que dá inveja no Pinoche,quando ao índio ao qual te referistes já tá aparecendo a bunda dele na janela, tem os pés molhados nos esquemas ilícitos da merenda escolar do Rio e mais enquanto a caravana passa os cães ladram!

  8. Sei que isso é muito chato… Mas é “SILVÍCULA” e o nome do general é CUSTER. E é tão fácil… Basta olhar no google.
    Em tempo: “REACIONÁRIOS”!!!!!

  9. Praticamente exterminaram com os SELVÍCOLAS (índios) de norte a sul de toda America, e ainda querem impedir de ocuparem um espaço para sobreviverem com com seu artesanato. Depois não querem ser chamados de reaceonareos e discriminadores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo