CidadaniaJudiciárioTrabalho

NÃO CUSTA LEMBRAR. Sabe a empresa que escravizava trabalhadores em Cacequi?

Confira a seguir trecho da nota publicada aqui na madrugada de 18 de abril de 2010, um domingo:

VERGONHA. Até hoje não se sabe quem escravizava trabalhadores em Cacequi

Foi no início de novembro de 2007. Portanto, já se vão no tempo dois anos e cinco meses, quase seis. E até agora, ninguém é capaz de dizer o que houve, muito menos qual o nome da empresa, em Cacequi, naquela época. A mídia, porque não sabia (é o que desejo) ou não quis (o que seria uma deslavada vergonha, pois indica que era algum grandão envolvido), não divulgou que organização utilizava o trabalho escravo de um bom punhado de trabalhadores.

Sinto vergonha. E gostaria de dar nome aos bois (no caso, talvez literalmente). Mas não sei. Ninguém sabe. Exceto os envolvidos, que se mandaram – ou continuam fazendo a mesma coisa, afinal a execração pública, punição mínima…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI

PASSADO EXATAMENTE UM ANO da publicação da nota, já se vão quase três anos e meio que o fato provocou alvoroço, na mídia e na sociedade. No entanto, nesse tempo todo, ninguém mais tocou no assunto e, até agora, não foi divulgado o nome da empresa escravizadora de trabalhadores. Vergonha!

SIGA O SITÍO NO TWITTER

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo