Eleições 2012InternetPolítica

NÃO CUSTA LEMBRAR. Assim, de repente, oposição a Schirmer (Pozzobom incluído) “tricotava” pela internet

Confira a seguir trecho da nota publicada aqui na madrugada de 27 de junho de 2011, uma

segunda-feira:

OPOSIÇÃO A SCHIRMER. Pimenta, Valdeci e Pozzobom tricotam pela internet. Aí tem! Tem? Ah, até para este sítio sobrou

O editor não precisa nem fazer elocubrações. Apenas reproduz, a seguir, um conjunto de mensagens postadas no Twitter, o portal dos microblogues, no início da tarde deste domingo, pelos deputados petista Valdeci Oliveira e Paulo Pimenta, e pelo tucano Jorge Pozzobom. Tratam, as personagens, da oposição a Cezar Schirmer em 2012. E os textos, você perceberá, são autoexplicativos.

Tudo começou ainda de manhã, com a resposta de Pimenta a um convite anterior, feito por Valdeci a ele e a Pozzobom, para participarem da Feira da Economia Solidária, no início de julho…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI

PASSADO EXATAMENTE UM ANO da publicação da nota, é bastante interessante reler o que o trio (com a assistência passiva deste editor) passou um bom tempo dominical no Twitter. E, olha, naquela época, havia ainda quem pensasse que um dos deputados petistas poderia concorrer.

SIGA O SITÍO NO TWITTER

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo