JudiciárioMinistério PúblicoSanta MariaTragédia

KISS. Mais recente inquérito já virou processo e a denúncia será feita (ou não) pelo Ministério Público

Daí, desse prédio, sairá a lista de denunciados. Que podem ser todos, alguns ou nenhum
Daí, desse prédio, sairá a lista de denunciados. Que podem ser todos, alguns ou nenhum

Na sexta-feira, a Polícia Civil encaminhou ao Judiciário o mais recente inquérito sobre a tragédia de 27 de janeiro, na boate Kiss. Como você leu em nota PUBLICADA  pelo sítio, foram 18 nomes (inclusive servidores municipais) apontados, com 22 indiciamentos: falsidade ideological, falso testemunho, fraude processual, prevaricação e crime ambiental são os fatos apontados pela investigação policial.

Agora, tudo isso virou processo. E, como tal, aguarda a manifestação do Ministério Público. A promotoria se manifestará em até 15 dias, podendo aceitar o inquérito no todo ou em parte ou mesmo rejeitá-lo, arquivando as conclusões apuradas pela Polícia. No popular: a bola está com o MP, sob o olhar vigilante dos familiares das vítimas, com absoluta certeza, dadas as manifestações recentes dos seus representantes.

Mas, a quantas anda tudo? Vale conferir a reportagem de Lisie Antonello, na versão online do jornal Zero Hora (o DSM também o publicou, mas o editor já esgotou sua quota de notas gratuitas – agora, só pagando, o que ele, por enquanto, se recusa a fazer), no final da tarde desta terça. A foto é de Juliano Mendes, do arquivo do jornal A Razão. A seguir:

kiss seloAberto novo processo para crimes apontados pela Polícia Civil

… O inquérito da Polícia Civil que indiciou 18 pessoas por crimes de de falsidade ideológica, falso testemunho, fraude processual, prevaricação e crimes contra a administração do Meio Ambiente já é um processo na justiça. O inquérito foi remetido na tarde desta segunda-feira para a 1ª Vara Criminal, onde já tramitava o processo por homicídios e tentativas de homicídios da Kiss.

Ainda nesta tarde, a 1ª Vara encaminhou o novo processo ao Ministério Público, que, após analisar o material, pode denunciar os indiciados pelos crimes, pode arquivar indiciamentos ou pode pedir mais investigações sobre o caso. Os promotores têm 15 dias para se pronunciar.

O inquérito apurou possíveis irregularidades na concessão dos alvarás que permitiram que a boate Kiss começasse e se mantivesse funcionando até se incendiar na madrugada de 27 de janeiro de 2013, levando à morte 242 pessoas. Os fatos ocorreram de 20 de abril de 2009 até o dia da tragédia.

Além disso, como o inquérito policial também traz indícios de improbidade administrativa (que não é tratado na esfera criminal) por parte de servidores e secretários municipais, o relatório das investigações deve ser anexado ao inquérito civil sobre improbidade que tramita no MP. O promotor Maurício Trevisan aguardava a conclusão do trabalho da polícia para retomar o inquérito civil em que todos os casos envolvendo servidores públicos municipais haviam sido arquivados…” 

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

  1. ""O Ministério Público (MP) é um órgão de Estado que atua na defesa da ordem jurídica e fiscaliza o cumprimento da lei no Brasil.
    O MP atua também na defesa dos interesses sociais e individuais indisponíveis e no controle externo da atividade policial. Desta forma, o órgão trata da investigação de crimes, da requisição de instauração de inquéritos policiais, da promoção pela responsabilização dos culpados.""
    Aguardamos, novamente, que cumpra seu papel, definido na constituição!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo