ColunaObservatório

OBSERVATÓRIO. Duque de Caxias e o ‘forte’ de SM

Isso é história!

18 de janeiro de 1845 – Caxias, em Ordem do Dia n. 187, refere-se à existência de um forte em Santa Maria da Boca do Monte, denominado da Imperatriz. Cezimbra Jacques, em seu primeiro livro editado em 1883, faz ligeira alusão a esse forte.

Consta ter existido algo semelhante, mas não um forte propriamente dito e sim fossos, em terreno que foi da Profa. Lívia Feliz Mena de Barreto, onde hoje está o Colégio Cícero Barreto, num coxilhão que se estendia mais ou menos da atual Rua Floriano Peixoto até a Igreja do Rosário.

Em entrevista que tive com Profa. Felizinha, como era conhecida, ela já muito idosa, porém perfeitamente lúcida, disse-me ter lembrança da existência de uns fossos em seus terrenos. Outros velhos moradores nada me puderam adiantar sobre o citado Forte da Imperatriz, do qual nada ficou escrito além das referências de Caxias e Cezimbra Jacques, ao que eu saiba.

Tudo leva a crer que, se algo existiu, foram simples fortificações representadas por fossos e talvez estacadas, há muito desaparecidas.”

(Da terceira edição do livro “Cronologia Histórica de Santa Maria e do extinto município de São Martinho”, de Romeu Beltrão)

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo