RETROSPECTIVA. Tensão no Banrisul, ao anúncio de fechamento de agências. É a 7ª nota mais lida do ano

RETROSPECTIVA. Tensão no Banrisul, ao anúncio de fechamento de agências. É a 7ª nota mais lida do ano

RETROSPECTIVA. Tensão no Banrisul, ao anúncio de fechamento de agências. É a 7ª nota mais lida do ano - retrospectiva-7

Greve Geral de 28 de abril já denunciava o desmonte do Banco do Estado do Rio Grande do Sul. (Foto Maiquel Rosauro/Arquivo)

É evidente que a perda de empregos sempre tensiona qualquer ambiente. Imagina, então, num banco tão tradicional quanto o Banrisul (dos poucos ainda sob controle público), em ambiente de conturbação com a reforma trabalhista.

Assim é que, mesmo que as agências a ser fechadas, segundo a própria direção do banco, não sejam no território gaúcho, há evidente tensão no interior da instituição, como retrata a matéria que acabaria por se tornar a 7ª mais acessada do ano, no www.claudemirpereira.com.br. Ela foi publicada na manhã de 30 de setembro, um sábado. Releia, a seguir:

ECONOMIA. Banrisul anuncia aos funcionários o fechamento de agências e cria um clima de tensão

Por Maiquel Rosauro

O clima é tenso nas agências do Banrisul por todo o Brasil. No final da última semana, o banco informou aos funcionários que atuam fora do Estado sobre um processo de reestruturação que fechará diversas agências. Porém, a instituição adota o silêncio tanto ao movimento sindical quanto à imprensa.

Conforme informações oficiais do banco passada aos funcionários, a agência de Recife (PE) será fechada em 15 de dezembro, a de Salvador (BA) em 15 de janeiro e a de Fortaleza (CE) em 15 de fevereiro. As agências de Belo Horizonte (MG) e Cascavel (PR) seguirão o mesmo destino, mas em data ainda não divulgada.

Em outubro, está prevista a unificação das três agências da cidade do Rio de Janeiro (RJ), restando apenas uma. O mesmo irá ocorrer com as três unidades de São Paulo (SP).

Também estão ameaçadas de fechamento, até o final do ano, agências catarinenses nas cidades de Rio do Sul, América, Estreito, Trindade, Itajaí, Jaraguá do Sul, São Bento e Brusque. Funcionários destas unidades têm entrado em contato diariamente com colegas do Rio Grande do Sul em busca de vagas em unidades do Estado.

A tendência é que, acima de Santa Catarina, restem apenas quatro agências: Curitiba, São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. Também circula a informação de que até 100 agências em solo gaúcho sejam transformadas em postos de atendimento, sobretudo, em municípios pequenos…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

PARA LER AS NOTAS (JÁ PUBLICADAS) DA RETROSPECTIVA, CLIQUE AQUI.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *