LETRAS. Luciana Manica e o poder da escrita

“Poucas letras podem significar muito. Um simples “bom dia, eu te amo”, quando diariamente escrito soa até repetitivo, e eventualmente é questionado, feito ao estilo “copia e cola”. Mas a falta dele, ahhhhh, a ausência daquele simples “control C control V”, como sentimos!! Parece que tudo muda, de um segundo para outro, devaneios vêm à cabeça: “Será isso? Será aquilo?”.

A escrita também auxilia os esquecidos. Promessas mentalizadas são propositalmente ou não ignoradas, inclusive as feitas aos amigos. A aposta de R$ 50,00 pode ser inflacionada conforme a alta do dólar, ou despenca mais que a moeda venezuelana, dependendo do interesse.

O registro de desejos, planos e metas também empodera ou cria a vergonha necessária para se alcançar objetivos. Por isso que planejamentos (empresariais ou pessoais) são importantes, a cada passo que se dá, pode-se olhar o mapa a fim de trilhar o rumo certo para a conquista almejada.

Faça o teste, se você pretende fazer uma dieta, seja qual for, uma simples reeducação alimentar, um desafio sem álcool por 20 dias, qualquer coisa. Se você não anotar no caderninho cada etapa vencida, o primeiro deslize ficará no ar, ao estilo “foi só uma bicadinha, foi só um golinho, ou só essa vez” e tudo passa como se o desafio permanecesse intacto…”

CLIQUE AQUI para ler a íntegra do artigo “O poder da escrita”, de Luciana Manica Gössling. Ela é advogada, Mestre em Direito e especialista em Propriedade Intelectual. O texto foi postado há instantes, na seção “Artigos”!



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *