CONGRESSO. Bloco de oposição articula para tentar fazer de Tasso Jereissati o novo Presidente do Senado

CONGRESSO. Bloco de oposição articula para tentar fazer de Tasso Jereissati o novo Presidente do Senado - poder360-tasso-jereissati

O tucano Tasso Jereissati tem apoio de partidos mais à esquerda para concorrer à presidência do Senado em 2019, pelos oposicionistas

Do portal especializado PODER360, com imagem de Reprodução

O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, confirmou ao Poder360 que seu partido negocia com o PSDB o apoio à candidatura do tucano cearense para presidente do Senado.

“A negociação está a cargo do Cid Gomes [senador eleito] e dos demais senadores do partido. O PDT formará com a Rede, o PPS e o PSB 1 bloco de oposição ao governo no Senado. O PSDB não integrará esse bloco, mas podemos fechar 1 acordo envolvendo o comando da Casa, relatorias e comissões. E não há qualquer restrição ao nome do Tasso”, disse Lupi.

O tucano e Cid reuniram-se na última 4ª (31.out). Conversaram a sós durante cerca de uma hora. Foi o primeiro encontro político após 8 anos de rompimento no Ceará, quando Tasso foi candidato à reeleição para o Senado sem o apoio do grupo de Cid e Ciro Gomes, seus antigos afilhados políticos.

CONTRA BOLSONARO E RENAN

Além de se opor ao governo de Jair Bolsonaro, a articulação do PDT visa a afastar a possibilidade de o Senado ser comandado pelo MDB de Renan Calheiros.

Embora diga que não é candidato, o senador alagoano é hoje o mais cotado para o cargo em seu partido. O MDB tem a maior bancada na Casa, mas Renan também sofre a antipatia do futuro presidente da República.

BLOCÃO DE OPOSIÇÃO

Rede, PDT, PSB e PPS têm jantar marcado para tentar selar o Blocão em 21 de novembro. Será na casa do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

Esses 4 partidos terão, juntos, 13 senadores. É mais do que o MDB, que terá 12 cadeiras a partir de 2019:

Rede– 5 senadores

PDT – 4 senadores

PPS– 2 senadores

PSB– 2 senadores

Está quase certo também que a Rede e o PPS formarão uma só agremiação. Dessa forma, cumprem a cláusula de desempenho e terão direito a pleno funcionamento parlamentar em 2019. O novo partido nasceria com 7 senadores e 9 deputados.

PARA LER A ÍNTEGRA, NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *