HabitaçãoJudiciárioPrefeituraTransporte

HABITAÇÃO. Audiência debate, sem nada concluir, soluções para famílias que vivem na beira da ferrovia

Ações de reintegração de posse movidas contra cerca de 15 mil pessoas que residem em Santa Maria. Ontem, nova audiência pública

Por MANUELA VASCONCELLOS (texto) e DEISE FACHIN (foto), da Assessoria de Imprensa da Prefeitura

A situação das pessoas que residem no entorno da malha férrea em Santa Maria e o papel do Poder Municipal neste processo foram assuntos de audiência pública realizada na noite desta segunda-feira (22), na Câmara de Vereadores. Junto com centenas de moradores ameaçados de despejo, o prefeito Jorge Pozzobom se fez presente no debate sobre o destino das cerca de 3 mil famílias que moram às margens da linha férrea. A empresa Rumo é autora de inúmeros processos de reintegração de posse contra as famílias que residem em um trecho que inicia no Bairro Camobi e se estende até o Distrito de Boca do Monte.

“Temos uma única causa, que é proteger os moradores. A empresa não pode responsabilizar o Município de um problema que eles criaram. O mais importante é preservarmos esta unidade que criamos ao longo do tempo, pois é chegada a hora de acalmar a população e, juntos, buscarmos uma solução. Não vamos permitir esta ação imoral”, defende o prefeito Jorge Pozzobom, referindo-se às cerca de 15 mil pessoas que moram em Santa Maria.

A audiência pública foi presidida pelo vereador Valdir Oliveira, da comissão especial que acompanha a situação. Os vereadores Admar Pozzobom e Marion Mortari, vice-presidente e relator da comissão, respectivamente, também acompanharam os debates. O superintendente de Habitação e Regulação Fundiária, Wagner Bittencourt, explicou que muitas das áreas localizadas no entorno da malha ferroviária estão em processo de regularização, assunto que está sendo tratado pela Prefeitura de forma sensata. O encontro também contou com o presidente da Associação dos Moradores Próximos à Ferrovia de Santa Maria e Região, Pablo Rocha.

A defensora pública do Estado, Isabel Wexel, explicou o trabalho realizado pela instituição e defendeu que é a partir da movimentação da comunidade que se estabelece diálogo. “A união de diferentes Poderes Públicos com o povo é o símbolo do comprometimento que temos com a procura da resolução dos problemas de todas as famílias que estão sendo ameaçadas”, afirma.

As ações da Rumo também abrangem municípios da região, como Dilermando de Aguiar, Santiago, Unistalda, entre outros. Na próxima sexta-feira (26), Cruz Alta, que também conta com famílias às margens da malha ferroviária, sedia audiência pública com representantes do Tribunal Regional Federal (TRF).

A intenção é que esses representantes também acompanhem a situação de Santa Maria. Além dos vereadores que compõem o Legislativo, a audiência pública contou com a presença do secretário de Desenvolvimento Social, João Chaves, e os deputados estaduais Valdeci Oliveira e Rodrigo Maroni.

PARA LER A ÍNTEGRA, NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo