ARTIGO. Paulo Pimenta, Lava Jato, STF e a prisão de Lula – ‘condenado pelos seus feitos’ em favor do povo

ARTIGO. Paulo Pimenta, Lava Jato, STF e a prisão de Lula – ‘condenado pelos seus feitos’ em favor do povo

ARTIGO. Paulo Pimenta, Lava Jato, STF e a prisão de Lula – ‘condenado pelos seus feitos’ em favor do povo - pimenta-artigo-lulaLula, 500 dias de infâmia e injustiça

Por PAULO PIMENTA (*)

Nesta terça-feira (20), completaram -se 500 dias de prisão arbitrária do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, encarcerado como preso político a partir de um processo manipulado e com fins políticos e ideológicos. É uma barbárie praticada contra o presidente mais popular da história brasileira, condenado sem nenhuma prova de crime cometido, o que envergonha a Justiça brasileira perante todo o mundo. Lula é um sequestrado político.

É preciso lembrar que a Operação Lava Jato, sob o comando do ex-juiz Sérgio Moro e do procurador Deltan Dallagnol, desde o começo com o apoio da grande mídia, das elites e de parte do sistema de justiça forjaram um processo criminoso para condenar Lula sem crime, e portanto, sem provas.

Conluio criminoso – Agindo em conluio, a dupla Moro/Dallagnol passou a instrumentalizar a Força Tarefa para perseguir alvos escolhidos, em especial Lula, garantir a proteção de apaniguados, como ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, Eduardo Cunha e sua esposa, Onyx Lorenzoni, entre outros.

Tão grave quanto essa seletividade, a Lava Jato passou a atuar como organização para enriquecer alguns de seus membros, com palestras milionárias e até com a criação de uma fundação privada que seria gerida por eles, com R$ 2,5 bilhões obtidos por meio de um acordo misterioso com os EUA.

Já denunciávamos há tempos as aberrações jurídicas da Lava Jato, principalmente contra Lula, alvo de denúncias sem fundamento e delações negociadas com réus que alteraram depoimentos seguidas vezes, cedendo à pressão de procuradores para que se adequassem à narrativa previamente orquestrada por Moro e Dallagnol, que em contrapartida garantiam a eles a tanto sua liberdade quanto seu patrimônio.

Perseguição política – Agora, com as revelações do site The Intercept Brasil e seus parceiros da mídia, a partir de conversas entre os lavajateiros no aplicativo Telegram, o mundo percebeu a extensão e a gravidade dos atos criminosos da Lava Jato. A Lava Jato virou partido político e teve papel central na eleição do ultradireitista Jair Bolsonaro, que destrói o Brasil e suas conquistas civilizatórias, com a ajuda do ex-juiz Sérgio Moro, que foi recompensado com o cargo de ministro da Justiça pelos serviços prestados.

Lula não teve julgamento justo, é vítima de uma farsa judicial e de uma trama perversa que passa desde a defesa dos interesses dos EUA no petróleo do pré-sal até as privatizações, como tem ocorrido, de ativos da Petrobras vendidos a preço de banana, sem falar no enfraquecimento de grandes empresas nacionais que atuavam em diferentes mercados externos.  Só uma CPI poderá trazer a tona a verdade sobre a Lava Jato.

Lula foi, na verdade, condenado pelos seus feitos – os números mostram as grandes realizações de seus dois mandatos, tanto que saiu com 87% de aprovação popular – e por mostrar ao povo brasileiro que podemos construir um país justo, soberano, democrático e inclusivo, com oportunidades, empregos e geração e distribuição de renda.

Não esperamos nada menos do que justiça por parte do Supremo Tribunal Federal. Que possam ser reparados esses 500 dias de prisão, garantindo a libertação imediata de Lula, após o escândalo de repercussão internacional desencadeado pelas revelações do The Intercept. Democracias de verdade não permitem julgamentos fraudulentos nem prisões políticas.

Lula Livre!

(*) Paulo Pimenta é Jornalista e Deputado Federal, líder da Bancada do PT na Câmara dos Deputados

OBSERVAÇÃO DO EDITOR: a imagem que ilustra este artigo é de reprodução/arquivo.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *