CongressoMundoPolítica

SENADO. Jornalista britânico, baseado no Rio, falará sobre a espionagem ianque e a influência dela por aqui

Britânico Glenn Greenwald vai ao Senado. Reportagem dele foi vital (foto Ag. Senado/Divulgação)
Britânico Glenn Greenwald vai ao Senado. Reportagem dele foi vital (foto Ag. Senado/Divulgação)

O cara vive no Rio de Janeiro há quase uma década. E foi dali que produziu e publicou no jornal bridânico The Guadian, material com base em dados vazados pelo tal de Edward Snowden, hoje no aeroporto de Moscou, à espera de um país para morar – perseguido que é pelos norte-americanos, cujo serviço de espionagem expôs.

Pois, agora, Glenn Greenwald papeará com os senadores. Explicará isso e, sobretudo, a bisbilhotagem ianque que afetou, também, os latino-americanos, inclusive no Brasil. Sobre isso e mais um pouco, vale conferir o material produzido pela Agência Senado. A reportagem é de Paola Lima. A seguir:

Jornalista que revelou espionagem americana falará ao Senado na terça

As denúncias sobre a existência de uma rede de espionagem montada no Brasil pelo governo dos Estados Unidos serão discutidas nesta terça-feira (16) pela Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE). A comissão vai receber em audiência pública o colunista Glenn Greenwald, do jornal britânico The Guardian, responsável por expor os programas secretos americanos de interceptação de dados vazados pelo ex-técnico da agência de segurança americana (NSA) Edward Snowden.

O senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES), presidente da CRE e um dos autores do requerimento de audiência, disse que espera ouvir de Greenwald informações mais precisas sobre o monitoramento feito pelos americanos no país. A CRE deve elabora um relatório detalhado a respeito do assunto, incluindo falhas dos sistemas de segurança brasileiros, e cobrar uma atitude firme do governo.

Em audiências realizadas nesta semana, ministros admitiram que o país tem vulnerabilidades, em relação ao sigilo de comunicações eletrônicas e telefônicas.

Greenwald vive no Rio de Janeiro há oito anos. Em maio, o advogado e blogueiro publicou uma matéria no Guardian sobre a existência de uma ordem judicial secreta que permitia à NSA monitorar milhões de registros telefônicos nos Estados Unidos. A reportagem deu origem a toda a discussão sobre o monitoramento de comunicações pelos EUA…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo