JudiciárioSanta MariaTragédia

KISS. Nem Schirmer ou Pozzobom; nem Arigony e muito menos Lozza. Nenhum deles vai depor em juizo

kiss seloO juiz Ulysses Fonseca Louzada DECLAROU à repórter Lizie Antonello, na versão online do Diário de Santa Maria, no início da tarde, que a decisão é “momentânea e pode ser revista, caso seja comprovado que algumas dessas pessoas pode contribuir com o processo criminal”. No entanto, o fato é que o magistrado que preside o processo criminal da tragédia de 27 de janeiro, negou o pedido do réu Marcelo de Jesus dos Santos, vocalista da banda Gurizada Fandangueira, através do seu advogado, Omar Obregon.

Assim, pelo menos por enquanto (e há quem duvide se não é definitivo) não há chance de haver o depoimento, no processo, do prefeito Cezar Schirmer, do deputado Jorge Pozzobom, do delegado Marcelo Arigony e do Promotor de Justiça, Ricardo Lozza – como desejava e requeria a defesa.

Mas essa não foi a única decisão anunciada nesta terça-feira, pelo juiz Louzada. Ele também deu conta das novas audiências do processo – e nelas serão ouvidos sobreviventes. Isso, entre outras informações, você tem na reportagem originalmente publicada no G1, o portal das Organizações Globo. Acompanhe:

Justiça define datas de mais nove audiências do processo da boate Kiss

O juiz Ulysses Louzada, da 1ª Vara Criminal de Santa Maria, definiu nesta terça-feira (20) as datas das próximas audiências do processo criminal do incêndio na boate Kiss em 27 de janeiro deste ano, que causou a morte de 242 pessoas. As próximas nove audiências para ouvir o restante dos sobreviventes serão realizadas no mês de setembro no Salão do Júri do município da Região Central do Rio Grande do Sul.

As audiências, segundo o magistrado, foram marcadas para os dias 5, 10, 11, 12, 19, 24, 25, 26 e 27 de setembro. O objetivo do juiz é ouvir seis pessoas ao dia, em média. Ao menos 60 sobreviventes devem prestar depoimento, cujos nomes foram indicados pelos advogados de defesa de dois dos quatro réus. 

Outras cinco sessões devem ser realizadas em outros municípios gaúchos por meio de carta precatória, ou seja, quando o destino das audiências é fora da comarca de origem. As cidades definidas foram Horizontina, Passo Fundo, Quaraí, Rosário e Uruguaiana…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

 

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

6 Comentários

  1. Sr. Omar, pergunte ao juiz porque a fiscalização da prefeitura colocou um OK ao lado da data do Alvará Sanitário vencido no mês anterior da vistoria da mobilidade urbana.
    PODIAM, DEVIAM, ter fechado a casa por não ter alvará sanitário em dia. Assim seu cliente poderia nunca ter ido se apresentar na ARMADILHA chamada Kiss… qualquer interrupção anterior mudaria a cronologia.
    Uma pessoa escreveu OK ao lado de uma data de documento vencido!!! Quem foi? E por que o prefeito não abriu sindicância sobre isto?

  2. A prefeitura estava tambem com os alvaras vencidos não fiscalizou, no entanto são comandante foi blindado, os bombeiros tambem estavam com os alvaras vencidos e seu comandante esta sendo processado, gostaria de saber porque dois pesos e duas medidas, tudo me leva a crer que o motivo é que um é pulitico e o outro não.

  3. Acho que sou meio lesa pq até agora não entendi pq esses senhores tem que ser ouvidos. Se estavam ou não conversando com quem quer que seja na noite do incêndio não significam que sejam responsáveis pela tragedia. O que um delegado de polícia, um promotor ou um deputado tem que ver com uma casa mal fiscalizada? O prefeito, bem esse até pode ter algo a ver, mas não pq estava ou não conversando com alguem na noite do incendio e sim pelos atos de meses ou dias anteriores a tragédia, portanto no meu ver é só para levar adiante mais um tempo o processo ou desacreditar alguem.

  4. O clamor da população de Santa Maria por justiça é sentimento contribuido pela defesa de Marcelo de Jesus dos Santos, tanto o é que tem trazido a baila diversos fatos relevantes a efetivação de uma sentença justa e clara; mas se a justiça de Santa Maria entende que os depoimentos requeridos não contruibuem em nada ao feito, é por que já tem sua convicção firmada, o prê julgamento já esta figurado desde o início; quem vive incluído na sociedade, por consequencia não vai jamais contrapor-se a qualquer, trazendo entes públicos a prestar esclarecimentos a sociedade e a Justiça. Esta posição já era esperada desde a data em que foi feito os requerimentos. Não a nenhuma surpresa no indeferimento dos pedidos formulados pela defesa de Marcelo de Jesus dos Santos. O que se espera é que no futuro, as pessoas não pensem somente em seus interesses pessoais e hajam com dignidade e respeito ao ser humano, bem como respeito a si mesmo. Grande abraço a todos que de uma forma ou outra tentam contruibuir na elucidação clara e justa deste abastado sinistro que abala nossa cidade.

  5. Esses tem as costas quente e são blindados pois só tem 08 cobaias para ser defenestrado em praça publica enquanto os judas inocentes, do passo assistem tudo na maior cara de pau, essa é a Lei.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo