ColunaObservatório

OBSERVATÓRIO. A Estância do Filipinho está lá

Isso é história!

6 de abril de 1821 O célebre viajante e naturalista francês Auguste de Saint-Hilaire, em viagem científica pelo Rio Grande do Sul, chega à Estância do Filipinho, onde pernoita, e registra:

‘Da estância onde paramos, situada no alto de uma colina, avista-se vasto panorama. Algumas choupanas, em péssimo estado, compõem essa habitação. Uma negra, que me recebeu, quis abrigar-me em um casebre próximo, mas mostrei-me contrariado e fiz-me de importante, de modo que me foi aberta a melhor e mais limpa de todas as casas. Todavia ela é tão mal coberta que se chover entrará água por todos os lados. Soube, por velhos negros zeladores da estância, pertencer esta a um homem rico, o qual sumetia uma mulher livre a crueldade inauditas. Tendo sido perseguido pela justiça e metido em prisão, findou por fugir para São Paulo, onde morreu. Durante esse tempo seus bens foram abandonados, sendo essa a causa do mau estado da estância…’

A Estância do Filipinho, que ainda conserva o nome, fica próxima de Dilermando de Aguiar e pertence hoje à sucessão do Dr. Walter Jobim.”

(Da terceira edição do livro “Cronologia Histórica de Santa Maria e do extinto município de São Martinho”, de Romeu Beltrão)

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo