Caminho Livre

Vamos falar de economia (doméstica e familiar)? – por Bianca Pereira, de Chandigarh, Índia

bianca-bA pedidos, vamos falar um pouco mais da economia da Índia. Começando pelo básico dessa vez.

Existem moedas de uma, duas, cinco e dez rupias, e notas de cinco (está saindo de circulação aos poucos) dez, cinquenta, cem, quinhentos e a nova de duas mil rupias. Hoje (exatamente no momento que escrevo esse texto) a cotação da rupia está R$ 20,11 ou $ 68,22. Com a medida a rupia caiu um pouco com o dólar chegando a 70, mas, que eu tenha visto, não passou disso, o normal é 67 dólares.

Vamos a alguns exemplos de preços? (Se alguém quiser saber o preço de algo que eu não coloquei aqui peçam nos comentários)

* Para costurar a alça da minha mochila gastei 20 rupias (R$ 1,00)

* De aluguel por um apartamento de dois quartos, um banheiro, com um terraço, eu e as minhas três colegas de apartamento pagamos 24 mil rupias por mês (R$ 1. 193, 41). Sim, é caro – ou pelo menos caro para cá – mas só descobrimos isso um mês depois que já estávamos lá. E por sinal eu devo me mudar de novo mês que vem.

* De táxi para o trabalho eu gasto em torno de 100 rupias por 12 km (R$ 4,97)

* Um sari (a roupa tradicional indiana cheia de tecidos) custa em torno de 1.000 rupias (R$ 49,72)

* Um pacote de bolacha custa em torno de 15 rupias (R$ 0,75)

* Uma coca-cola 2 litros (sim, não podia faltar!) custa 90 rupias (R$ 4,47)

* Por dois kg de peito de frango gastei um pouco mais de 400 rupias  (R$ 19,89)

A maioria dos produtos tem preços fixos, tudo em um mercado ou numa farmácia vem com o preço estipulado pelo governo já impresso na embalagem do produto. O que facilita, e muito, para os estrangeiros. É verdade a história que os indianos cobram mais para quem não é daqui, não só estrangeiros. Se eles percebem que você não é da cidade ou da região, pode saber que cobrarão mais. E pechinchar funciona na maioria das vezes, mas é difícil saber se mesmo assim não estamos pagando mais caro.

A maioria das transições é feita em dinheiro; não é todo lugar que recebe cartão e os que recebem as vezes não aceitam os internacionais. Como não existem grandes mercados aqui (o que é chamado de “Market” seria o centro de cada setor), as compras são feitas em farmácias e mercadinhos atulhados de coisas. Ovos e carne são em lugares menores e obviamente só aceitam dinheiro. Por isso a troca das moedas fez tudo ficar tão caótico (as novas notas terão uma forma).

As coisas para mim estão tranquilas. Tem um mercadinho que recebe cartão no meu setor; estou fazendo compras apenas lá, o Uber está no cartão também e com o dinheiro que consegui retirar do caixa eletrônico eu compro o básico que preciso. Como estrangeiros, temos dificuldade para trocar as notas, não temos todos os documentos necessários, e não podemos criar contas nos bancos pelos mesmos motivos. Então, o mais fácil é pedir para alguém trocar. Os atms recebem dinheiro novo quase todos os dias, mas as filas ainda estão grandes e a hora que saio do trabalho as filas estão enormes e muitas vezes o dinheiro já acabou.

bianca-aMas as coisas estão se resolvendo, no caos normal que se pode esperar de um país com uma extensão de culturas e dialetos e um “jeitinho” único de fazer as coisas.

As notas podem ser trocadas através de deposito até o dia 30 de dezembro e até 31 de março nos caixas com apresentação da identidade. Depois disso, elas perderão de vez o valor. As novas notas de duas mil rupias são parte da nova série de notas de Mahatma Gandhi. Terão um tom único de rosa e um novo design que dificulta a sua cópia, e nenhum chip! O governo já listou as medidas de segurança da nota, aqui vão algumas:

* Registro transparente com o valor de ₹2000

* Imagem latente com o valor de ₹2000

* Letras micro com ‘RBI’ e ‘2000’ no lado direito da nota

* Linha solitária com a inscrição ‘भारत’, RBI e ₹2000. Cor da linha troca de azul para verde quando inclinada

* Cláusula de garantia, assinatura do Governador com a cláusula e o emblema do RBI virados para a direita

* ₹2000 que muda de verde para azul quando inclinada, na parte inferior direita

* No lado esquerdo dos óculos de Mahatma Gandhi há RBI escrito.

Não tenho visto ninguém reclamando da decisão em si. Do tumulto, sim, mas todos que estão a minha volta concordam com os economistas que a decisão será benéfica a longo prazo. Há até aviões militares indianos de prontidão para transportar as novas notas das casas da moeda para o resto do país. Os atms estão sendo ajustados e até o fim do mês o governo acredita que tudo voltará ao normal.

Na verdade, tenho sorte de morar em uma das principais cidades e ter muita gente a minha volta que sabe o que fazer.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo