Caminho Livre

Vamos falar de economia? – por Bianca Pereira, de Chandigarh, Índia

bianca-bSó um pouquinho, prometo!

Essa última semana a Índia entrou em um caos financeiro. O Primeiro Ministro, Narenda Modi, declarou na terça-feira (8/11) que todas as notas de 500 e 1.000 rupias perderiam o valor a partir da meia noite. Esse comunicado foi feito quatro horas antes, levando todo o país à loucura.

A decisão foi tomada em segredo. Pelo que diz a mídia, além de Modi, apenas o ministro das Finanças, o governador do Banco Central indiano e alguns conselheiros sabiam da ação. Tudo isso feito para lutar contra a corrupção e a evasão fiscal, que é enorme aqui! Modi foi eleito com uma campanha baseada na luta contra a corrupção, e ele está fazendo o que cumpriu, já que é a primeira vez, desde 1978, que o governo indiano toma qualquer tipo de atitude contra as notas falsas que circulam no país.

Os dados falam de 16,5 bilhões de rúpias em notas de 500 e outros 6,7 bilhões de rúpias em notas de 1.000 em circulação que ficaram sem qualquer valor monetário de uma hora para outra.

Do dia 8/11 até o dia 11/11, os únicos lugares que estavam aceitando essas notas eram hospitais estatais e postos de combustíveis. Quem tem as notas em casa deve trocar nas agências bancarias (todos os setores possuem pelo menos uma, pelo que eu sei) ou depositar as notas na conta até o fim do ano. Ah! Para ajudar, o limite de troca é de 4 mil rupias por pessoa e por dia, em um lugar que os estrangeiros recebem entre 20 e 30 mil. A nota de 1.000 será descontinuada, a de 500 ganhará uma nova versão e o governo lançará a nota de 2.000 rúpias.

Agora vem o problema. Geralmente, estrangeiros não possuem contas aqui, usamos cartões de crédito, dinheiro ou cartões internacionais pré-pagos (meu caso). A medida foi tomada poucos dias depois ou antes dos salários serem pagos, e recebemos em dinheiro já que é difícil sacarmos cheques. Legal, né?  A maioria dos estrangeiros que eu conheço já havia recebido, tudo em notas de 500 e 1.000 rúpias. Eu não recebi, já que meu novo contrato não estava pronto ainda. Para trocar as notas é todo um processo, longas filas e indianos enlouquecidos nelas. O mais fácil é pedir para algum amigo ou colega de trabalho trocar para a gente.

bianca-aEssa última semana foi de usar as notas de 100, 50, 20 e 10 rúpias, além das moedas de 10, 5, 2 e 1 (imagem ao lado).  Muitas pessoas não estavam preparadas pra isso e, como os bancos ficaram fechados nos dois dias seguintes ao comunicado, a vida ficou um pouquinho difícil. Eu consegui tirar o dinheiro do meu cartão na sexta antes de terminarem as notas de 100 nos caixas eletrônicos, mas vejo muita gente bem perdida sem conseguir achar um caixa funcionando e tendo que encarar horas de fila.

Porém, a medida está sendo bem vista em grande parte do país, pelo que eu tenho lido e conversado com o pessoal aqui. Quem não gostou nada foi quem tinha notas falsas; muita gente por sinal. Em um site diz que “centenas de milhões de indianos viram-se sem dinheiro de bolso suficiente para o dia a dia, numa economia onde 90 por cento das transações se fazem em dinheiro.”

E isso é verdade. Aqui se usam muito as notas, como no mercado por exemplo. No meu aqui só tem dois ou três lugares que aceitam cartão. O que escuto de todo mundo é que nessa semana devem chegar mais notas novas e o processo será agilizado. Tomara!

Está um pouco difícil, sim. Nos dois dias que o banco estava fechado, se eu não tivesse dinheiro para o básico estava perdida. Minha sorte foi que eu tinha e que o grupo de estrangeiros sempre se ajuda. Estamos nos emprestando dinheiro e quem conseguir trocar as notas primeiro ajuda os outros.

Quem disse que ia ser chato e tedioso vir pra cá?

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo