Destaque

LOBISOMEM? Caçada após ataque no Campestre teve até tiros. Na região, cadelas de caça foram mortas

Cadela usada na caça a javalis foi morta há cerca de um mês e meio, em Silveira Martins, por um animal desconhecido. Foto Divulgação

Por Maiquel Rosauro

A “caçada ao lobisomem” ganhou uma inesperada reviravolta no final de semana. Um animal misterioso atacou uma propriedade no Bairro Campestre Menino Deus, região Norte de Santa Maria, e assustou os moradores. Há também registro de duas cadelas mortas, há cerca de um mês e meio, em Silveira Martins, por um animal não identificado.

O caso se tornou público na quinta-feira (28), quando o vereador Adelar Vargas – Bolinha (PMDB) disse, na tribuna da Câmara, que caçaria um suposto lobisomem na região Oeste da cidade, após ter recebido relatos de uma moradora. Na verdade, acredita-se que um animal silvestre com hábitos noturnos seja o responsável pelos ataques.

Conforme Douglas Costa Canto, proprietário de um canil no Campestre, a propriedade de um vizinho, onde são criadas ovelhas, sofreu um ataque durante a madrugada de domingo (1º). Inclusive disparos de armas de fogo foram efetuados, mas o misterioso animal não foi morto.

“O vizinho ouviu os cães latindo e atirou. Se o bicho atacasse na minha propriedade poderia ter matado meus cachorros”, avalia Canto.

Confira no vídeo um relato da caçada durante a madrugada desse domingo:

A preocupação do morador do Campestre faz sentido, já que há registro da morte de duas cadelas no interior de Silveira Martins no mês de agosto. E não se trata de cães domésticos, mas cadelas utilizadas na caça a javalis em municípios da Fronteira Oeste.

“Esse tipo de ataque aos cães não é comum, pois são duas cadelas fortes que brigam de igual para igual com javalis”, explica Tiago Zanini, proprietário dos animais mortos e que possui licença para caça de porcos selvagens.

Confira o momento em quem o corpo de uma cadelas foi encontrado:

Canto e Zanini não rechaçam a possibilidade de que o mesmo animal possa ter sido o responsável pelos ataques em Silveira Martins e no Campestre, ambos localizados em áreas de mata.

Vereador está preocupado com a segurança dos moradores
Após a divulgação da matéria sobre a “caçada ao lobisomem”, Bolinha virou alvo de zoação na internet, inclusive com vários memes circulando nas redes sociais. Porém, ele disse que não está preocupado com a repercussão negativa, mas sim com a segurança da população.

“Não dou bola (para as críticas), minha preocupação é sé um bicho desses pega uma pessoa. Acredito que seja um puma ou uma jaguatirica que esteja atacando animais domesticados”, relata o vereador.

No final de semana, Bolinha divulgou uma nota sobre o caso. Confira:

Nota de esclarecimento do vereador Bolinha:
Bom dia. Venho aqui esclarecer a quem interessar, que falei na tribuna da Câmara de Vereadores, sobre uma moradora da comunidade da Vila Jockey Club que estava apavorada com animal que matou seus cachorros. Mas falei sem maldades será que não é lobisomem, vamos caçar o bicho.

Mas eu não estou preocupado com pessoas maldosas, que julgam as pessoas, eu estou muito tranquilo, as pessoas que me conhecem sabem do meu trabalho, não desmerecendo ninguém, se tem alguém que trabalha pela comunidade todos os dias eu estou nesse time.

Mas a vida é assim mesmo, vivemos numa sociedade, onde muitas pessoas não fazem nada por ninguém, pais matam filhos, filhos matam pais, não existe mais respeito entre as pessoas, brigas, ameaça da 3ª Guerra Mundial.

Vou ser bem sincero e juro por Deus, já me deu vontade de abandonar a política, poucos querem fazer algumas coisa para as comunidades, sem falar na roubalheira, desses políticos que só veem o seu lado, pessoas morrendo em hospitais, sem atendimento médico, e ai eu pergunto quem nunca errou que atire a primeira pedra, se nem Jesus Cristo conseguiu contentar o povo, crucificaram ele na cruz, então minha gente nada vai me derrubar, só me ajoelho nos pés de Jesus.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

18 Comentários

  1. Vale lembrar que a onça parda está em extinção, matar uma é crime! Que fazer algo produtivo vereador? Procure o Ibama para ver oq é correto de se fazer e nunca esqueça que somos nós que estamos invadindo seu habitat!

  2. Doce Dulce. Já que foste tomada por súbita curiosidade por essas mal traçadas linhas ,me ajude desvendar mais um mistério. De forma estranha e enigmática um dos meus comentário aí de cima sumiu. Coisa inédita, Censurado após a publicação. Tipo assim Queermuseu, sabe.Teria sido obra do censor-chefe? Ou o filho da dona Sônia, mesmo? Quem sabe a Liga dos Maridos Traídos? Ou seria a Cinta-liga dos Poíticos Defenestrados. Mistério. Muito mistério, Dulce. Uiiii…

  3. Depois dum fim de semana pra lá de sobrenatural , o nosso audacioso vereador retorna à segurança da fortaleza da vale machado. Já na escadaria encontra a colega Cida, que se prontificou a fazer o parto do lobisominho. Já que ela tem uma noção de partos lobistétricos. Disse que está louca para ver o focinho do pitucho. A dra. Deili, muito cortez, disse que havia tricotado uma roupinha para o tal lobinho. Confessou que essa tarefa a tinha deixado mais calminha.” Cortesia gera cortesia “-ponderou. A unica coisa que incomodou o arguto vereador era que depois desse fantasmagórico episódio, os corredores da vale machado o estavam chamando de Balinha. Balinha de prata. Uiii…

  4. Na reportagem falam que existem caçadas de javalis nessa região, porcos javalis tbm se alimenta de animais peguenos como filhotes de ovelhas, e facilmente um porco grande pode matar cachorros com muita facilidade

  5. Mistérios da Meia Noite
    Que voam longe
    Que você nunca
    Não sabe nunca
    Se vão se ficam
    Quem vai quem foi
    Impérios de um lobisomem
    Que fosse um homem
    De uma menina tão desgarrada
    Desamparada se apaixonou
    Naquele mesmo tempo
    No mesmo povoado se entregou
    Ao seu amor porque
    Não quis ficar como os beatos
    Nem mesmo entre Deus
    Ou o capeta
    Que viveu na feira
    Mistérios da meia-noite
    Que voam longe
    Que você nunca
    Não sabe nunca
    Se vão se ficam
    Quem vai quem foi
    Impérios de um lobisomem
    Que fosse um homem
    De uma menina tão desgarrada
    Desamparada, se apaixonou
    Naquele mesmo tempo
    No mesmo povoado se entregou
    Ao seu amor porque
    Não quis ficar como os beatos
    Nem mesmo entre Deus
    Ou o capeta
    Que viveu na feira
    Mistérios da meia-noite
    Que voam longe
    Que você nunca
    Não sabe nunca
    Se vão se ficam
    Quem vai quem foi
    Impérios de um lobisomem
    Que fosse um homem
    De uma menina tão desgarrada
    Desamparada, seu professor
    Naquele mesmo tempo
    No mesmo povoado se entregou
    Ao seu amor porque
    Não quis ficar como os beatos
    Nem mesmo entre Deus
    Ou o capeta
    Que viveu na feira
    Mistérios da meia-noite
    Que voam longe
    Que você nunca
    Não sabe nunca
    Se vão se ficam
    Quem vai quem foi
    Impérios de um lobisomem
    Que fosse um homem
    De uma menina tão desgarrada
    Desamparada, seu professor

  6. Jaguatirica? Só pode ser zueira .Dois cães de caça a javali mortos por uma jaguatirica? Uma jaguatirica não dá uma isca pra esses cães, isso provavelmente é ataque de puma !

    1. Com certeza. Já ouvi relatos de amigos biólogos e vi registro de onça pintada e onça parda atacando cães.

    2. Pode até ser. Mas pelo que sei, maioria não caça javali de noite. Andam em bando e são perigosos. Jaguatirica na área da barragem não é muito raro. Mas se fosse um leão baio (puma é coisa de gaúcho Nutella, com a devida vênia) acredito que o estrago seria maior. Quando acharem a gente descobre. Mas alguém poderia consultar um biólogo. Um monte de gente chutando ao invés de ouvir um especialista é perda de tempo.

    3. Deveriam criar um curso para preparar pessoas destinadas a procurar a informação mais correta. Nesta época de fake news seria útil esta nova profissão.

  7. Abater animal silvestre é crime, para começo de conversa. Segundo aspecto é que nada garante que seja o mesmo animal em todos os casos. Nunca via alguém caçar javali com um cachorro só, geralmente são muitos, situação é diferente.
    Para identificar o bicho mais rápido é preciso achar rastro, pelo formato da pata descobre-se a espécie.
    Pegou no pescoço pelo jeito, coisa de felino, está parecendo coisa de jaguatirica. Se for mesmo, não adianta procurar embaixo, ela tenta se esconder em cima das árvores quando acuada.
    Não precisa ser um gênio para saber que sair dando tiro a esmo por aí é pedir para dar “m”. Pode acertar uma rês ou até mesmo uma pessoa.

  8. Prendam um homem chamado Luiz ,nao me lembro o sobrenome ele morava no cerro azul á muitos anos atrás e esse lobisomem residia la quando ele morava la tambem ,hj ele mora no campestre é o lobisomem também que estranho né,investiguem esse homem.

  9. Isso não tem nada de sobrenatural, é só olharmos em volta: É o resultado do desequilíbrio ecológico, da ganância humana, da ausência de respeito pela natureza, é o avanço da cidade sobre os cerros que cercam Santa Maria, desmatados para a agricultura e pelas favelas ao redor que avançam mato a dentro, são animais sem alimento que descem através de porções de mata que percorrem a região mesmo em área urbana, podendo numa única noite percorrer quilômetros para caçar e atacam cães, pois esses estão em toda a parte, são comuns, provavelmente trata-se de um felino como um puma ou uma jaguatirica, raros, mas que ainda existem nessa região.

    1. faço das suas as minhas opiniões isso é o desequilibrio que nós mesmos provocamos, e que nenhum abobado invente de matar um puma ou onça parda,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo