SALA DE DEBATE. “Mais médicos” sem os cubanos, o grande tema do dia. E, claro, o pré-governo Bolsonaro

SALA DE DEBATE. “Mais médicos” sem os cubanos, o grande tema do dia. E, claro, o pré-governo Bolsonaro

SALA DE DEBATE. “Mais médicos” sem os cubanos, o grande tema do dia. E, claro, o pré-governo Bolsonaro - sala-10

Este editor (E), o mediador (C) e os convidados: Werner Rempel, Ruy Giffoni, Antonio Carlos Lemos e Eduardo Rolim (foto Gabriel C. Prado)

Nem se poderia ser diferente, vamos combinar. Inclusive, por uma coincidência, pela presença de dois profissionais da área, Werner Rempel e Eduardo Rolim, entre os convidados desta quinta-feira, no “Sala de Debate”, na Rádio Antena 1, entre meio dia e 1 e meia da tarde. Sim, foi o “Mais Médicos”, especialmente depois da decisão cubana de romper o contrato e a necessidade de prover o país, especialmente suas regiões mais pobres, de 8,5 mil médicos a partir de janeiro.

Com a mediação de Roberto Bisogno, a participação deste editor e também dos outros convidados de hoje, Antonio Carlos Lemos e Ruy Giffoni, a situação criada e outras questões do, digamos, pré-governo de Jair Bolsonaro consumiram intensa discussão entre os presentes e, claro, uma efetiva atuação também de vários ouvintes do “Sala”.

PARA OUVIR O “SALA” DE HOJE, BLOCO POR BLOCO, CLIQUE NOS LINQUES ABAIXO!!!

 



8 comentários

  1. O Brando

    Pessoas que viveram outras épocas começam a se juntar, procurar pontos de convergência para serem irrelevantes juntos.
    Pessoas maduras, educadas e que vieram de Vulcano. Desprovidas de supra-renais e espinhaço. Jarbas Lima, cria da UPF.
    Problema de energia. Sobretensão provavelmente. E bom aumentar a ignorância da audiência, não chega a que já existe.
    Império brasileiro era a decima quinta economia do mundo. Existem estudos a respeito e estão na internet. Ofélia, a que so abre a boca quando tem certeza, errou de novo. Argentina era a decima nona economia do mundo. Atras de México, Suíça, e Persia, atual Irã.
    Por diversos motivos existiam perto de 630 fábricas em 1889. Têxtil, química, alimentos, armas, naval, vestuário, etc. Barão de Mauá faleceu pouco antes da proclamação.
    Ancora gasta um tempão do programa para ensinar uma pessoa como visitar a rádio. Bota encher linguiça nisto. Como todos sabem, ancora não tem alça e nem rodinha.

  2. O Brando

    Assunto não é bem da área da medicina. Tem mais a ver com gestão hospitalar e logística de serviços em saúde.
    Fato: cubanos estão indo (não necessariamente de forma voluntária) onde os brasileiros em geral não querem ir e recebem bem menos do que um colega brasileiro que executa as mesmas tarefas. Fato: existem brasileiros no programa que se formaram em Cuba e outros que se formaram na Bolívia. Fato: alguns cubanos(as) revalidaram o diploma, fizeram a prova. Fato: alguns casaram por aqui. Tem gente que não vai voltar.
    Não acredito que irão conseguir os oito mil médicos, logo quem precisava deles para alguma coisa vai se lascar. Nenhuma novidade.
    Levy estava no governo de Dilma, a humilde e capaz, por indicação do Bradesco, é o que se dizia na época.
    Bolsonaro não falou em romper. Ele deu algumas declarações que desagradaram o governo cubano e este rompeu o acordo. Seria bom se não se falseasse os fatos.

  3. O Brando

    Serviço civil obrigatório necessitaria de modificação constitucional. Não passa. Se passasse não haveria recursos.
    Indenização também necessitaria de modificação constitucional (atualmente é previsto que o ensino público é gratuito). No final os ricos indenizariam (se fosse aprovada a medida) e os pobres iriam prestar serviço obrigatório. Resultado é mais concentração de renda.
    Colocando ovo em pé. Maior pais da América Central é o México, com pouco mais da metade da população e com área quatro mil vezes menor. Voluntariado compulsório é de doer.
    Aconteceu em Roraima ne era mesozoica. Criatura vai para os cafundós, encontra um parceiro(a), mas na hora de colocar a prole no mundo tem que voltar para a cidade grande. Depois para conseguir uma educação decente tem que mandar a prole para a cidade grande. Para o ensino superior idem.
    Projeto Rondon ainda existe, vinculado ao ministério da defesa.

  4. O Brando

    E claro que nem todo município tem juiz. Existe um negócio chamado comarca. Santa Maria tem juízes (justiça estadual) que atendem também Itaara, São Martinho e Silveira Martins. Justiça federal da aldeia é responsável por 23 municípios. Delegado de política também não é toda cidade que tem. As vezes tem delegacia, mas quem atende vem de outra cidade. Carreira de médico federal não sai do papel porque não tem recursos. Qual a parte do ‘não tem dinheiro’ não ficou clara?
    Sim, na época do Astrogildo de Azevedo se operava em casa e nem antibiótico existia. Se fizesse o que fazia antanho com os recursos que existem hoje seria cassado pelo Cremers. Nada mais óbvio. Mais, ia ter que virar calceteiro para pagar as indenizações.
    Chile é menor do que a região sudeste e população pouco menor do que a cidade de São Paulo. Centralização, carreiras de Estado, não passam de socialismo estropiado.
    Gente da mesma laia? Que deselegante! Faltou argumentos? Só porque discordam não prestam?

  5. O Brando

    Brasil tem um monte de coisa que no papel ‘é o melhor do mundo’, na pratica é uma bosta. Resolve o que?
    Isto, joga-se todos os recursos na medicina preventiva e quem já está doente que morra.
    Ambulancioterapia é projetada. Corta custos. Gente especializada num determinado problema num lugar só, facilita a logística dos insumos, etc.
    Basta ver o padrão de vida dos médicos e dos pedreiros, os pedreiros estão muito melhor. Se o pessoal de Erechim ficar sabendo que não tem serventia nem para fazer buraco na parede e ainda paga por isto….

  6. O Brando

    Gente mandando propaganda vermelha e o ancora le como se fosse informação confiável. Deve ter gente que acredita. Muitos países, inclusive na Europa, só que a fonte da informação é o próprio governo cubano. Impulso humanitário uma ova, impulso de propagar ideologia furada.
    Mensagens que baixam a lenha no programa não são lidas. Obvio. Mesmo com maioria de puxa-sacos, é o esporte mais praticado na cidade, deve ter alguém criticando.
    Intempestivo não significa exatamente o que Rempel acha que significa. Sugiro consultar um amansa-burro.
    Rempel já é oposição. Nada preocupante, pouco mais de 15 mil vão atrás das lorotas dele.

  7. O Brando

    Debatedor participou do governo Schirmer, um dos piores da história do município, onde ate iluminação publica foi inaugurada, onde se criaram trocentos parques municipais no papel (dá para ficar o dia inteiro escrevendo sobre isto). Está falando do que exatamente? Ah tá, explicado. Não entende.
    Ancora eructou sua opinião. Sobre a semana retrasada.
    Araxá é da família Moreira Sales. Todo o resto da mineração está na mão dos chineses. Bandeiras de países que compram desta empresa. E costume de muita empresa exportadora.
    Nióbio era moda no final da década de 80 do século passado. Seria importante com o boom dos supercondutores, o que nunca aconteceu. E usado em pequenas quantidades em aplicações especiais. Governo passado tinha o pré-sal, este tem o nióbio para atiçar os nacionalistas. E sempre a mesma história, ‘tem uma montanha de dinheiro lá’. Mineral também existe no Canadá e na África.
    Areia monazítica como lastro é teoria da conspiração. Energia nuclear nunca decolou na Alemanha Ocidental e a oriental era a quarta maior produtora de uranio do mundo.

  8. O Brando

    Fusão do BB com o Bank of América aparentemente foi algo solto no vento. Bom para os vermelhinhos espumarem pela boca, é engraçado! Prognóstico? Mais fácil o posto Ipiranga sair do governo. Alás, quero ver quem sai primeiro, ele ou o Onix.
    Para quem acredita em Werner, estou vendendo uma universidade ali no bairro Camobi. Um milhãozinho paga.
    Se usar as reservas para agitar o mercado e retomar o crescimento o resultado não seria o esperado. Reservas foram criadas com dívida (que continuaria lá). Papo para economista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *