INTERNET. Site supera 43 mil leitores diferentes, na audiência de julho. Covid (1º) e política, os campeões

INTERNET. Site supera 43 mil leitores diferentes, na audiência de julho. Covid (1º) e política, os campeões

INTERNET. Site supera 43 mil leitores diferentes, na audiência de julho. Covid (1º) e política, os campeões - ebc56afc-audiênciaPor CLAUDEMIR PEREIRA (com imagens de Reprodução), do Editor do Site

Que se diga: a pandemia, por todo o seu impacto na vida das pessoas e da mídia, é talvez a grande responsável. De todo modo, não deixa de ser animador e motivo de alegria perceber a confiança cada vez maior, e com números invejáveis de audiência, do leitor deste site. Afinal, se não chegou aos mais de 58 mil leitores únicos, número provavelmente imbatível, de JUNHO o fato é que o mês passado também foi extraordinário – na comparação com meses e anos anteriores.

Em julho, conforme o Google Analytics, o aferidor preferencial de audiência de boa parte dos sites e portais nacionais, foram (como você vê na imagem acima) exatos 43.624 leitores diferentes ao longo do mês, no www.claudemirpereira.com.br. Mas, por que, afinal, o número de leitores, a parte a qualidade (modéstia às favas) do site, habitual responsável por informações exclusivas ou em primeira mão, subiu tão expressivamente?

INTERNET. Site supera 43 mil leitores diferentes, na audiência de julho. Covid (1º) e política, os campeões - c50d1f5f-audiência-mais-lida

Uma nota “híbrida”, de política, mas com o novo coronavírus, a Covid-19, de pano de fundo, se intrometeu entre as mais lidas e chegou em 3º lugar em julho

A explicação pode ser encontrada, quem sabe, na verificação das notas mais acessadas do mês. Das dez mais acessadas, duas podem ser qualificadas de, digamos, políticas: o número de CCs da Prefeitura (notícia exclusive) e o anúncio (em primeira mão) do projeto de Paulo Pimenta, batizando a Travessia Urbana de José Mariano da Rocha Filho. Todas as demais, ou são totalmente sobre a Covid-19 ou, como a Terceira mais lida (veja na imagem ao lado) do mês, que podem ser consideradas “híbridas”: têm a pandemia como pano de fundo.

Aliás, como curiosidade e informação adicional, confira o trio de notas que puxou a lista das mais lidas de julho, no site:

1º –  “COVID-19. Médicos relatam que população entendeu de forma equivocada a indicação para “ficar em casa””, publicada na madrugada do dia 2, uma quinrta-feira (AQUI)

2º –COVID. A notícia ruim: SM passa de marca de 1 mil casos confirmados. A boa: cai o número de internados”, publicada na noite do dia 22, uma quarta-feira (AQUI)

3º –COVID-19. Pozzobom diz que o vice Cechin agiu de forma oportunista ao propor o “tratamento precoce””, publicada na madrugada do dia 31, uma sexta-feira (AQUI)



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *